sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Então é Natal e a loucura é geral!

Nossa! Eu até gosto de natal e ano novo, mesmo que nesse ano não esteja muito no espírito de festa. Mas gostaria de saber o que acontece com as pessoas nessa época. É um tal de abraçar, beijar pessoas que você não tem a menor intimidade e dar presentes para pessoas que não fazem parte da sua vida. Vira meio que uma competição. Engraçado é que vejo todo mundo reclamando que no Natal ninguém lembra do nascimento de Cristo, que não se deve focar em comidas e presentes, mas os shoppings e mercados continuam lotados. Isso seria uma manifestação brutal de hipocrisia? Acho que sim!

Ontem fui fazer minha unha e eu só via as manicures e cabeleireiras ganhando presentes, um atrás do outro. As mulheres chegavam com sacolas e distribuíam. Eu levei a minha modesta caixa de bombom para minha manicure, porque não via nenhum sentido em presentear as outras pessoas, visto que não utilizo o trabalho de mais ninguém ali, não tenho intimidade. Fiquei olhando aquela feira de presentes. Chegava ao ponto das manicures disputarem quem tinha recebido mais presentes. Doideira total!

O caso acima é só um pequeno exemplo da loucura consumista que ataca as pessoas nesse período. Eu me recuso há muitos anos a participar disso, mesmo gostando dessas festas.

Outra coisa que me incomoda é gente que mal conheço me desejando feliz natal e ano novo, batendo no meu ombro, querendo me beijar e abraçar. Ahhh gente! Eu só desejo feliz natal e ano novo para quem sinto isso. Não cumprimento semiestranhos!

Acho sinceramente que tudo isso tinha que ser repensado. Tinha que haver uma evolução social que fizesse as pessoas pisarem no freio nessa época. Que pensassem mais no que estão fazendo!

E ceia de natal? Todas as mulheres fritando rabanada e outra comidas gordurosas num calor de 40 graus. Ninguém merece isso! Que tal modificar as comidas, por alimentos mais leves, ou pelo menos mais práticos?

Eu sei! Penso demais e analiso demais. Sou doida! E para mostrar que não sou insensível, vou deixar o Papai Noel abaixo para levar meus votos de um bom natal para todos! Quem não gostar do modelo novo de papai noel que achei, que procure o seu. Esse aí me agrada muito... rs

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Queria ser mais mulherzinha!

Às vezes gostaria de ser mais mulherzinha, mais dona de casa, mais guti guti, gostar de paninhos, caixinhas enfeitadas, tricô, bibelô, coisas guti guti, ligadas ao mundo feminino. Mas acho que tem um lado meu que é tão homem que chega a ser assustador... rs

Fico vendo minhas amigas dizendo que compraram colcha tal pra cama, que colocaram isso e aquilo na casa, que compraram um enfeite todo fofo, uma toalhinha e não consigo entender essa língua. Eu olho tudo isso com tédio, não vejo graça, não busco, não compro. Pra dizer a verdade, exceto pelos quadros florais que tem no meu apartamento e alguns arranjos de flores, porque flores eu gosto bastante, no mais ele é todo neutro. Não tem cara de menino, nem de menina! Tem horas que queria ser um pouquinho diferente.

Quando fiz uma reforminha no apartamento ano passado. Achei que fosse me animar, comecei a comprar umas coisinhas legais. Dois meses depois tinha virado homem de novo... ahahaha... Não vejo graça em frufrus e enfeites. Acho que minha mente é prática demais. Se algo não tem uma utilidade real, é difícil de limpar, ou toma espaço, eu prefiro não ter. E só tenho o básico.

Mas com meu corpo sou bem mulherzinha... Uffa... Não sou um totalmente homem... rs... Adoro cosméticos de todos os tipos, de tratar do cabelo, da pele. Sou capaz de passar um creme em cada região do corpo. É algo que faço e sinto uma satisfação depois. Gosto de pensar que estou cuidado do meu corpo. Já meu apartamento, basta estar funcional e limpo... rs

Lembro que quando vim morar aqui. Todos me deram bibelôs, e eu odeio bibelô, do tipo anjinho, patinho, bailarina e semelhantes. Juro que juntei tudo num saco e dei pra mim mãe, que adora juntar cacarecos. E dei sem dó! Eu vivo falando que não gosto disso e as pessoas ainda me dão... Ahhh vai se danar! Me dê algo útil para o dia a dia, ou então presenteie com creme, um sabonete, um xampu, vou gostar muito mais!

Tem um lado meu que queria ser mais guti guti, mais meiguinha, mais fofinha. Mas na verdade tem outro lado mais forte que gosta mais de praticidade. Enfim... foi meu lado estranho, meio homem que me levou pra frente... rs.

Gente, eu não sou masculinizada, tá? ahahahah

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Desafio dos 7!

O Rafael do Baú do Jamal e a Mayra di Manno do A Ferro e Flores na Avenida me passaram esse questionário para responder. Muitas coisas que me passam, não faço porque não me dá tesão de escrever sobre, ou responder, ou repassar, mesmo que ache que o gesto de me indicar, é fofo, é válido, é carinhoso. Mas esse questionário, os dois blogueiros acimas acertaram, porque me deu vontade de responder.

07 Coisas Que Tenho Que Fazer Antes De Morrer:

- Ir à Paris! Coisa de pobre, né? Todo pobre quer conhecer Paris. Mas é meu sonho de infância, entrar nas lojas de cosméticos, comprar um monte, inclusive perfumes. E claro! Aproveitar e conhecer o que puder da Europa.

- Publicar meu livro, o que já escrevi, e/ou o segundo que ainda pretendo escrever. Se bem que não faço o menor esforço para que isso aconteça.

- Ter uma casa com quintal para criar cadelas vira-lata. Não pode ser de raça, tem que ser vira-lata.

- Depois que me aposentar nunca mais enfrentar verões. Poder sempre passar o verão num lugar de temperatura amena, longe da praia.

- Me formar em medicina. Adoraria!

- Casar na igreja, ter filhos e lavar as cuecas do marido... ops... esse ítem não é daqui é das coisa que NÃO gostaria de fazer... rs... Nesse ítem entra que quero ter amigos, vários, legais, que respeitem quando quiser ficar sozinha.

- Ter uma empregada de novela. Daquelas que são amigas, mãe, empregada, babá, secretaria, governanta e tudo mais.... Adoraria... rs

07 Coisas Que Eu Mais Digo:

- Caraaaaalho!!

- Geeeente!!!

- Puta merda!

- Que tesão! - Quando vejo um homem gostosinho.

- Caraaaaaaca - Isso eu digo demais mesmo, pra tudo...

- Isso é 10!!!

07 Coisas Que Eu Faço Bem:

- E pra dizer mesmo? Sexo oral no homem, é minha especialidade... rs.

- Me expresso bem na escrita. Não é que me considere uma escritora, mas quando quero fechar um raciocínio, escrevendo sempre fica melhor.

- Sou ótima com finanças. Eu tiro qualquer um que conviva comigo do buraco financeiro. Sou ótima para fazer dinheiro render.

- Sou boa ouvinte, acho que por isso acham que sou psicóloga, confessionário de padre e afins...

- Sou boa companhia para tomar um porre. (Essa serve? ) Gente não estou mais sabendo o que colocar aqui... Que desafio fudido esse!

- Não sou espaçosa. Respeito o limite do outro. A individualidade.

- Sou muito boa em sacar as pessoas. Rapidamente eu tenho uma boa impressão de como a pessoa funciona e tento me adaptar a isso. (Affe... Ainda bem que essa parte acabou)

07 Defeitos Meus:

- Preguiçosa para trabalhos domésticos e uma penca de coisas.

- Me fecho demais quando não estou bem. Qualquer chateação e entro numa ostra.

- Eu cismo, de vez em quando, com alguma pessoa e vejo um monte de defeitos nela. É foda!

- Não fuciono sob pressão. De forma nenhuma, fico paralisada. Isso me incomoda muito

- Me desisteresso fácil de coisas, não tanto de pessoas.

- Adoro uma fofoca. Não intriga, não gosto de jogar uma pessoa contra outra, acho isso muito ruim. Mas falar mal da roupa de fulana e do cabelo de cicrana e super divertido...

- Sou daquelas vingativas que comem o prato frio. Espero uma opotunidade pra dar um bote certeiro. Mas raramente minhas vinganças tem grandes consequências, geralmente acabo sendo boazinha. Droga! Queria ser má! rs

07 Coisas Que Amo:

- Internet

- Filmes, séries americanas, algumas novelas.

- Escrever.

- Beijar na boca. Acho que sinto mais falta disso que de sexo... rs

- Tomar um porre no sábado à tarde acompanhada de uma pessoa legal, poder ser uma amiga, um homem e tal.

- Meu apartamento!!! É o melhor lugar do mundo.

- Não não vou fazer média e dizer que é ler livros. Porque tenho lido muito pouco. Já fui de ler bastante, mas com o surgimento da internet, vou para o Google e me perco lá.

07 Qualidades:

- Determinada.

- Quando quero algo sei ter paciência de esperar, faz parte da determinação.

- Sou econômica, mas não sou mão de porco. Posso gastar muito com algo e nada com outra coisa. Sempre verifico o valor real que aquilo tem. Gosto de ser assim.

- Autêntica o máximo que posso.

- Vaidosa! (Isso é qualidade, ou defeito? Ahhh eu resolvi colocar aqui!)

- Inteligente emocional.

- Palhaça, gosto de fazer os outros rirem... Quando estou bem, claro... rs



Nossa! Esses questionários são mais difíceis de responder do que parece! Affe!

sábado, 4 de dezembro de 2010

Fred do Fluminense! Ai que delícia!



Estava eu no quarto do hotel, com a cabeça fervilhando com decisões que precisava tomar rapidamente. E quando preciso pensar, ficar em frente a TV me ajuda. Quando de repente, me surge essa foto do Fred, só com esse bola na frente, maldita bola! E a reportagem diz que ele não beija há nove meses. Impossível, nem me venham com essa história de que é porque ele é gay. Isso é batido demais pra homens que fazem sucesso!

Gente! Esse cara pode não ser lindo, pode não ser uma unanimidade entre as mulheres, mas ele simplesmente me dá um tesão profundo. Acho que seria capaz de agarrá-lo se visse por aí pela night, só pra dar um abraço e sentir o cheiro dele... rs... Fico olhando essa foto e imaginando as coisas que faria com ele...

Não podia deixar de colocar essa foto aqui, até em homenagem ao Fluminense que há de ser campeão amanhã. E estarei em frente a TV torcendo... E torcendo muito. Nesses momentos esqueço um pouco da minha vida, e ando precisando muito disso!

Dia desses estava no mercado e vi um cara que era muuuito parecido com o Fred, mas muito mesmo. Eu paguei todos os micos possíveis, dei em cima do cara de todas as formas, só não falei com ele... Mas já sei que ele frequenta o supermercado que vou, e da próxima vez já tenho o texto decorado.

Sabe que esse cara do mercado mexeu comigo? E isso é difícil, muito difícil de acontecer. Volta e meia ele me vem a mente e a vontade de reencontrá-lo. Bobeira, imaturidade? Não! É dar vazão ao lado emocional sem o crivo da razão. É muito bom de vez em quando. Afinal eu tenho overdoses de razão na minha vida. Chega né? Bom variar um pouquinho!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Até breve!


Hoje estou saindo para fazer uma viagem. Viagem para resolver problemas, mas não deixa de ser uma viagem. Sair da rotina, ver outros lugares e tal! Vou usar esse tempo para repensar um bocado de coisas. E espero sinceramente voltar com o que fui fazer, resolvido.

Agora, coisa chata é fazer mala de viagem! Simplesmente quero levar o meu apartamento junto! Não consigo sair assim com uma bagagem de mão. Tenho sérios problemas com isso. Sempre digo que dessa vez vou levar o básico, e quando vejo mal consigo arrastar a mala! Que ódio tenho de mim, sabia?! Mas fui mais forte dessa vez, e a mala está razoável... rs... Tirei um monte de coisas depois dela pronta... rs

Outra coisa que não gosto muito e sei que muita gente curti, é viajar sozinha! Detesto! E olha que adoro fazer quase tudo sozinha, sou um ser meio solitário por opção, mas para viajar, gosto de estar com alguém, para trocar idéias, curtir as coisas boas, e ajudar a pensar em como resolver os imprevistos, que sempre aparecem...

Bem... seja como for, a viagem vai me ajudar! Tenho fé em Deus, força na peruca e determinação o suficiente para resolver tudo!

De repente encontro uma lan para dar uma olhadinha na net... rs... Até breve!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

R$ 700,00 é demais!


Eu adoro a Amy Winehouse e o pessoal que segue meu blog já sabe disso. Sei também que ela é uma drogada, que é feia, que muita gente não daria um tostão para assisti-la, bla bla bla. Até aí não me dizem nada, porque eu não daria um tostão para assistir muitos artistas estrangeiros, queridinhos das multidões, que vem fazer show no Brasil. Gosto da Amy, fato!!!

Então fiquei sabendo que ela viria ao Brasil e que faria um show no Rio de Janeiro, lugar onde moro, em janeiro. Fui pesquisar preços de ingresso:

Preço dos ingressos

* R$ 180 cadeira nível 3 (90 Meia Entrada)
* R$ 280 pista (140 meia)
* R$ 340 cadeira nível 1 (170 meia)
* R$ 700 pista premier e camarotes (350 Meia Entrada)

O queeeee??? R$ 700,00 para ver um show? Olha! Nem que fosse para passar uma noite com o Gianechinni, fazendo sexo louco e com ele mentindo que me ama, eu pagaria isso! Então vou esperar o show passar na TV! Porque em lugar barato também não vou! Não conseguimos ver nada, ganhamos tapa na cabeça, pisão no pé e voltamos para casa com a sensação de que algo ficou faltando...

Pão dura? Eu? Não! Sei o quanto vale ganhar o meu dinheiro e no que vale gastá-lo!

Tá bom! Vocês estão pensando! Por que essa louca que mora no Rio de Janeiro, que está em guerra, fica preocupada com essa futilidade? Não estou preocupada, estou só comentando, até porque me recuso a fazer post sobre toda essa doideira que anda rolando por aqui, já basta estar enfiada nisso o dia todo...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Gostaria de mais tempo para visitar blogs...


Sentei aqui para escrever sobre a minha falta de tempo para comentar os blogs que sigo. Escrevi, apaguei, escrevi, apaguei e tudo me pareceu piegas. Do tipo "- Oh queridos blogueiros, eu amo tantos vocês e queria ter mais tempo para devolver o carinho que me dão". No fundo é o que sinto, mas colocando assim num post me parece letra de música brega, desses grupos de pagode! Odeio me sentir falando coisas fofas, guti guti, na intenção de sensibilizar as pessoas. Gosto de bons argumentos, mas nesse post não tenho muitos.

Acesso a internet em dois momentos do meu dia. Mais ou menos 1 horas quando acordo pela manhã e 2 horas à noite. Quando entro pela manhã, tem em média, 40 novos posts para ler, dos blogueiros que sigo, e na parte da noite, mais 40. Claro! Todos querem atualizar seus blogs, serem lidos, comentados. Mas para mim tem ficado bem difícil conciliar essa leitura e comentários, com todo o resto da minha vida.

Se eu tivesse acesso a internet no meu trabalho, ficaria muito mais fácil, mas não tenho. E quando estou em casa, tenho trocentas outras coisas pra fazer, fora os dias que saio mais cedo e os que volto mais tarde e não dá pra acessar blogs.

Tá parecendo que eu estou dando uma explicação, satisfação e tal. Mas não deixa de ser, gente! No entanto, tenho lido outros blogueiros que reclamam da mesma dificuldade.

É legal ter um blog bem comentado. Putz, super legal! Claro, que estou me referindo ao Confissões Ácidas, junto com esse. Mas imediatamente isso cria uma espécie de compromisso com quem te comenta. Você quer retribuir, quer dar atenção, mas te digo que com a vida corrida que a gente leva, não é fácil, não é nada fácil, exceto se eu ficasse conectada a internet o dia todo.

O que eu desejo com esse post??! Não sei ao certo! Pedir desculpas, pedir para relevarem meus períodos de ausência em seus blogs, dizer que gostaria de ter mais tempo, vontade de dar uma parada com os blogs, tudo isso junto, um pouco de cada coisa. Não sei bem ao certo. Só sei que tempo me falta e sei que falta para muitos blogueiros que estão lendo esse post.

Tudo isso é estranho demais! Quando temos poucos seguidores, dar um retorno é tão fácil e quando isso aumenta se torna difícil dar a mesma atenção e parece estrelismo da nossa parte, mas não é! A verdade é que o temos uma vida além do blog e geralmente ela toma quase todo o tempo do nosso dia!

É isso! Espero que minimamente tenha conseguido me fazer entender.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Biografia de queeeeem????


Com tanta gente boa escrevendo, querendo ter uma oportunidade de lançar livros que fariam realmente alguma diferença, me deparo hoje com a biografia de Geisy Arruda! Não era Geysa? Ahhh, se era, então mudou na numerologia para que sua carreira tivesse mais sorte. Entendi! Ahmmm?? Carreira DE QUE??? O que essa criatura fez para escreverem uma biografia sobre a vida maravilhosa dela e lançar isso como se fosse algo fantástico? O que? Ahhh ela sofreu bullyng, entendo, então foi por isso... Agora entendi...

Gente! Para tudo que quero desencarnar! Quero ir tentar a vida em Plutão! Sei que tem muito lixo sendo lançado todos os dias, em todas as áreas e na literatura não poderia ser diferente. Mas fiquei de boca aberta quando tomei conhecimento dessa obra maravilhosa, que só pode ser preconceito da minha parte não entender o motivo da existência dela.

Olha! Uma coisa eu tenho que tirar o chapéu (que não uso) para essa mulher! Ela soube tirar proveito financeiro dos 15 minutos de fama dela. Isso é um talento! Mas não merece uma biografia!

Chegou por hoje! Não sei porque ainda me espanto com certas coisas!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Todo mundo tem problemas mesmo?

Olha! Todo mundo deve ter problemas, isso é um fato! Mas umas pessoas me passam a nítida impressão que a vida delas tem poucas preocupações, ou conflitos não tão sérios, ou uma puta falta de problemas mesmo!

Um dia desses conversando no msn com a Jade, ela me passa esse vídeo, que coloco aqui no post e me pergunto: - Essa criatura REALMENTE tem problemas na vida? Ela tem questões de peso a serem resolvidas? - Porque a impressão que tenho, é que para algumas pessoas falta mesmo com o que se preocupar!!

Eu dei gargalhadas junto com a Jade, mas confesso que no início do vídeo me deu raiva dessa mulher! Tirem vocês suas conclusões:

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Sobre sucesso e outras coisas...


Li essa entrevista no blog Café com Mulheres, da Ká. Achei que expressava tão bem o que penso sobre o assunto, que eu não saberia traduzir melhor, em palavras, como foi feito por Roberto Shinyashikir. Sei que é grande, mas vale a pena pelo menos ler algumas partes, para quem não tem tempo de ler tudo.

Entrevista dada á revista ISTO É por Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional.

ISTOÉ – Quem são os heróis de verdade?

Roberto Shinyashiki - Nossa sociedade ensina que, para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser diretor de uma multinacional, ter carro importado, viajar de primeira classe. O mundo define que poucas pessoas deram certo. Isso é uma loucura. Para cada diretor de empresa, há milhares de funcionários que não chegaram a ser gerentes. E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados. Quando olha para a própria vida, a maioria se convence de que não valeu a pena porque não conseguiu ter o carro nem a casa maravilhosa. Para mim, é importante que o filho da moça que trabalha na minha casa possa se orgulhar da mãe. O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes. Heróis de verdade são aqueles que trabalham para realizar seus projetos de vida, e não para impressionar os outros. São pessoas que sabem pedir desculpas e admitir que erraram.

ISTOÉ – O sr. citaria exemplos?

Shinyashiki - Quando eu nasci, minha mãe era empregada doméstica e meu pai, órfão aos sete anos,empregado em uma farmácia. Morávamos em um bairro miserável em São Vicente (SP) chamado Vila Margarida. Eles são meus heróis. Conseguiram criar seus quatro filhos, que hoje estão bem. Acho lindo quando o Cafu põe uma camisa em que está escrito “100% Jardim Irene”. É pena que a maior parte das pessoas esconda suas raízes. O resultado é um mundo vítima da depressão, doença que acomete hoje 10% da população americana. Em países como Japão, Suécia e Noruega, há mais suicídio do que homicídio. Por que tanta gente se mata? Parte da culpa está na depressão das aparências, que acomete a mulher que, embora não ame mais o marido,mantém o casamento, ou o homem que passa décadas em um emprego que não o faz se sentir realizado, mas o faz se sentir seguro.

ISTOÉ – Qual o resultado disso?

Shinyashiki - Paranóia e depressão cada vez mais precoces. O pai quer preparar o filho para o futuro e mete o menino em aulas de inglês, informática e mandarim. Aos nove ou dez anos a depressão aparece. A única coisa que prepara uma criança para o futuro é ela poder ser criança. Com a desculpa de prepará-los para o futuro, os malucos dos pais estão roubando a infância dos filhos. Essas crianças serão adultos inseguros e terão discursos hipócritas. Aliás, a hipocrisia já predomina no mundo corporativo.

ISTOÉ – Por quê?

Shinyashiki – O mundo corporativo virou um mundo de faz-de-conta, a começar pelo processo de recrutamento. É contratado o sujeito com mais marketing pessoal. As corporações valorizam mais a auto-estima do que a competência. Sou presidente da Editora Gente e entrevistei uma moça que respondia todas as minhas perguntas com uma ou duas palavras. Disse que ela não parecia demonstrar interesse. Ela me respondeu estar muito interessada, mas, como falava pouco, pediu que eu pesasse o desempenho dela, e não a conversa. Até porque ela era candidata a um emprego na contabilidade, e não de relações públicas. Contratei-a na hora. Num processo clássico de seleção, ela não passaria da primeira etapa.

ISTOÉ – Há um script estabelecido?

Shinyashiki - Sim. Quer ver uma pergunta estúpida feita por um Presidente de multinacional no programa O aprendiz? “Qual é seu defeito?” Todos respondem que o defeito é não pensar na vida pessoal: “Eu mergulho de cabeça na empresa. Preciso aprender a relaxar”. É exatamente o que o Chefe quer escutar. Por que você acha que nunca alguém respondeu ser desorganizado ou esquecido? É contratado quem é bom em conversar, em fingir. Da mesma forma, na maioria das vezes, são promovidos aqueles que fazem o jogo do poder. O vice-presidente de uma as maiores empresas do planeta me disse: “Sabe, Roberto, ninguém chega à vice-presidência sem mentir”. Isso significa que quem fala a verdade não chega a diretor?

ISTOÉ – Temos um modelo de gestão que premia pessoas mal preparadas?

Shinyashiki - Ele cria pessoas arrogantes, que não têm a humildade de se preparar, que não têm capacidade de ler um livro até o fim e não se preocupam com o conhecimento. Muitas equipes precisam de motivação, mas o maior problema no Brasil é competência. Cuidado com os burros motivados. Há muita gente motivada fazendo besteira. Não adianta você assumir uma função para a qual não está preparado. Fui cirurgião e me orgulho de nunca um paciente ter morrido na minha mão. Mas tenho a humildade de reconhecer que isso nunca aconteceu graças a meus chefes, que foram sábios em não me dar um caso para o qual eu não estava preparado. Hoje, o garoto sai da faculdade achando que sabe fazer uma neurocirurgia. O Brasil se tornou incompetente e não acordou para isso.

ISTOÉ – Está sobrando auto-estima?

Shinyashiki - Falta às pessoas a verdadeira auto-estima. Se eu preciso que os outros digam que sou o melhor, minha auto-estima está baixa. Antes, o ter conseguia substituir o ser. O cara mal-educado dava uma gorjeta alta para conquistar o respeito do garçom. Hoje, como as pessoas não conseguem nem ser nem ter, o objetivo de vida se tornou parecer. As pessoas parecem que sabem, parece que fazem, parece que acreditam. E poucos são humildes para confessar que não sabem.

ISTOÉ – Por que nos deixamos levar por essa necessidade de sermos perfeitos em tudo e de valorizar a aparência?

Shinyashiki - Isso vem do vazio que sentimos. A gente continua valorizando os heróis. Quem vai salvar o Brasil? O Lula. Quem vai salvar o time? O técnico. Quem vai salvar meu casamento? O terapeuta. O problema é que eles não vão salvar nada! Tive um professor de filosofia que dizia: “Quando você quiser entender a essência do ser humano, imagine a rainha Elizabeth com uma crise de diarréia durante um jantar no Palácio de Buckingham”. Pode parecer incrível, mas a rainha Elizabeth também tem diarréia. Ela certamente já teve dor de dente, já chorou de tristeza, já fez coisas que não deram certo. A gente tem de parar de procurar super-heróis. Porque se o super-herói não segura a onda, todo mundo o considera um fracassado.

ISTOÉ – O conceito muda quando a expectativa não se comprova?

Shinyashiki - Exatamente. A gente não é super-herói nem superfracassado. A gente acerta, erra, tem dias de alegria e dias de tristeza. Não há nada de errado nisso. Hoje, as pessoas estão questionando o Lula em parte porque acreditavam que ele fosse mudar suas vidas e se decepcionaram. A crise será positiva se elas entenderem que a responsabilidade pela própria vida é delas.

ISTOÉ – Muitas pessoas acham que é fácil para o Roberto Shinyashiki dizer essas coisas, já que ele é bem-sucedido. O senhor tem defeitos?

Shinyashiki - Tenho minhas angústias e inseguranças. Mas aceitá-las faz minha vida fluir mais facilmente. Há várias coisas que eu queria e não consegui. Jogar na Seleção Brasileira, tocar nos Beatles (risos). Meu filho mais velho nasceu com uma doença cerebral e hoje tem 25 anos. Com uma criança especial, eu aprendi que ou eu a amo do jeito que ela é ou vou massacrá-la o resto da vida para ser o filho que eu gostaria que fosse. Quando olho para trás, vejo que 60% das coisas que fiz deram certo. O resto foram apostas e erros. Dia desses apostei na edição de um livro que não deu certo. Um amigão me perguntou: “Quem decidiu publicar esse livro?” Eu respondi que tinha sido eu. O erro foi meu. Não preciso mentir.

ISTOÉ – Como as pessoas podem se livrar dessa tirania da aparência?

Shinyashiki - O primeiro passo é pensar nas coisas que fazem as pessoas cederem a essa tirania e tentar evitá-las. São três fraquezas. A primeira é precisar de aplauso, a segunda é precisar se sentir amada e a terceira é buscar segurança. Os Beatles foram recusados por gravadoras e nem por isso desistiram. Hoje, o erro das escolas de música é definir o estilo do aluno. Elas ensinam a tocar como o Steve Vai, o B. B. King ou o Keith Richards. Os MBAs têm o mesmo problema: ensinam os alunos a serem covers do Bill Gates. O que as escolas deveriam fazer é ajudar o aluno a desenvolver suas próprias potencialidades.

ISTOÉ – Muitas pessoas têm buscado sonhos que não são seus?

Shinyashiki - A sociedade quer definir o que é certo. São quatro loucuras da sociedade. A primeira é instituir que todos têm de ter sucesso, como se ele não tivesse significados individuais. A segunda loucura é: Você tem de estar feliz todos os dias. A terceira é: Você tem que comprar tudo o que puder. O resultado é esse consumismo absurdo. Por fim, a quarta loucura: Você tem de fazer as coisas do jeito certo. Jeito certo não existe. Não há um caminho único para se fazer as coisas. As metas são interessantes para o sucesso, mas não para a felicidade. Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito. Tem gente que diz que não será feliz enquanto não casar, enquanto outros se dizem infelizes justamente por causa do casamento. Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em casa com a família ou com amigos verdadeiros, levando os filhos para brincar ou indo a praia ou ao cinema. Quando era recém-formado em São Paulo, trabalhei em um hospital de pacientes terminais. Todos os dias morriam nove ou dez pacientes. Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte. A maior parte pega o médico pela camisa e diz: “Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei a vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz”. Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada. Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas. Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.

sábado, 13 de novembro de 2010

Eu falo palavrão!


Eu nasci numa família que fala muito palavrão! Mas é de um jeito normal, assim numa conversa em família vão saindo todos os tipos de palavrão como se fossem termos normais a serem utilizados. Meu irmão e meu pai conversando parecia um show de palavrões. E assim eu cresci no meio disso, como se fosse algo natural. Mas não me sentia à vontade de ser como eles, enquanto morei lá. Nunca falei palavrão na casa dos meus pais!

Outra coisa que achava curiosa é que meu irmão e meu pai andavam pelados pela casa, sentavam na sala pra ver tv, nus. E isso para mim se tornou algo normal, tanto que era como não os visse pelados, apenas estavam daquele jeito, como poderiam estar com um short, uma cueca, tanto fazia. Mas eu e minha mãe não andávamos sem roupa. Mais uma coisa que via como normal, mas não fazia.

Bem voltando a questão dos palavrões. A nossa criação em algum momento nos afeta. Depois de adulta, passei a falar muitos palavrões quando estou aborrecida! Muitos mesmo. Se estou indignada com algo, vai um monte de palavrões; se me aborreço com aguém, mais outros e assim se tornou meio que comum para mim falar palavrões, mesmo que sinta lá no meu íntimo que não é legal. Não uso palavrões em conversas normais com as pessoas que não tenho muito intimidade. Mas uso com aquelas que tenho mais intimidade.

Não é algo que esteja em mim de forma natural, como vejo em muitas pessoas que a cada cinco palavras, uma é palavrão e nem sentem isso. Eu sinto que estou falando palavrão, principalmente se a pessoa com quem estou conversando não fala...

No meu trabalho o povo estranha demais. Porque só eu e um outro rapaz é que falamos muitos palavrões quando ficamos aborrecidos! Não é que eu esqueça que estou no trabalho é porque saí e depois já foi... não tem como "desdizer".

Aqui no blog, volta e meia uso uns palavrões, também quando quero dar ênfase a uma indignação, mas aí é uma escolha minha fazer isso. Estou vendo claramente que é um palavrão e que muitas pessoas não gostam. Mas acho hipócrita não colocar aqui, já que faço isso no meu cotidiano. Então assumo os palavrões que falo.

Depois que escrevi esse post o achei tão idiota. Mas vou publicar assim mesmo... rs

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Machismo me cansa!

Não! Eu não vou dar uma de feminista chata e ficar dizendo o quanto o machismo é chato, o quanto ele atrapalha e atravanca a vida de mulheres como eu, que vivem sem entender o porquê de muitas mulheres ainda se submeterem aos homens como se fossem seus donos. Não vou comentar sobre mães que continuam criando seus filhos com conceitos machistas e clamam por igualdade na rodinha de amigas.

Ainda acho que a mudança de tudo isso está nas nossas mãos, de nós mulheres, que enquanto não nos conscientizarmos que não somos nem melhores, nem piores que os homens, apenas seres diferentes deles e merecemos o mesmo respeito. Já que os deveres estão aí, iguais pra todos! Iguais? Se bobear os nossos deveres só aumentaram...

Bem não vou tocar nesse assunto, apesar de já ter tocado... rs... Vou contar algo que aconteceu ontem, enquanto aguardava minha consulta médica:

Uma família, pai, mãe, filho e avó, espera a consulta do pai. Aí o garotinho que deveria ter uns 10 anos. Pega uma revista, mostra para o pai e diz:

- Pai essa atriz era casada com aquele cara moreno. Lembra? Agora ela está casada com fulano e o cara deixou ela posar nua!! Que absurdo!

Se um garoto de 10 anos, no mundo que vivemos, constrói essa frase usando a palavra "deixou" e os pais acham natural. Prefiro não pensar mais nisso como um todo e olhar somente para minha vida. Assim não me aborreço!

P.S.: A minha querida Elaine Gaspareto, depois de eu reclamar da letra dos meus posts nesse blog, que ficaram pequena. Ela achou um recurso que achei fantástico! Ali em cima do meu pefil, no canto superior direito da sua tela. Você pode escolher o tipo de letra e o tamanho que quer ler meus post. Muito foda isso... eheheh. Obrigada, Elaine! Você sempre me socorrendo!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Layouts novos e agradecimentos!


Beneficiada pelo "Me chama que eu vou!" da Elaine Gaspareto, o layout desse blog e do Confissões Ácidas foi modificado. O que me deixou feliz, porque se depender do meu conhecimento de html, meu blog fica 30 anos com a mesma cara... rs

Bem, eu já disse aqui mas vale relembrar, que a idéia acima da Elaine , tem o objetivo de arrecadar contribuições para o Adote um Focinho Carente, projeto que ajuda os animais necessitados. Ela oferece seu trabalho mudando layouts em troca de depósitos para esse projeto.

Eu que já amoooo animais, achei a idéia demais! E resolvi por conta própria ajudar sempre o Adote um Focinho Carente.

Quero deixar aqui meu enorme agradecimento à Elaine! Que teve paciência com todos meus pedidos. Já que esse blog aqui foi completamente modificado por ela, mas no Confissões Ácidas eu quis que muito do visual antigo permanecesse, então até encontrar um ponto em que se deixasse certas coisinhas e mesmo assim parecesse que tinha mudado, foi algo bem conversado pelos emails.

Indico completamente a Elaine, eu já gosto dela e vendo o quanto ela foi gentil, virei mais fã ainda... eheheh

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Lya Luft - exemplo de envelhecimento


Sei que temos vários exemplos na nossa sociedade de pessoas que já poderiam ser consideradas velhas, mas não carregam esse título de forma pejorativa. São pessoas que se libertaram, transcenderam, vivem suas vidas normalmente independente da idade que tem. Infelizmente essa parcela é uma minoria, ainda, e um exemplo dessa minoria é a escritora Lya Luft.

Dia desses vi uma entrevista da Lya no programa da Marília Gabriela, e fiquei encantada com aquela senhora de 72 anos, tão lúcida, com opinões tão atuais, com uma vida tão ativa, acompanhando as mudanças que ocorrem ao seu redor. Comparando com minha mãe, que praticamente está meio inválida, não por doenças degenerativas, mas por estagnar em algum lugar do tempo. A mente não funciona mais, não porque falte condições para isso, simplesmente porque houve uma desistência em acompanhar o mundo e sua evolução. E tantos e tantos velhinhos que estão exatamente na mesma situação, reclamando de tudo, num mundinho pequeno, totalmente voltados para o passado.

Já que envelhecer é inevitável, a não ser que eu morra antes disso, quero muito continuar sempre acompanhando o mundo. Não quero parar no meio do caminho. Não desejo ser uma Suzana Vieira que acha que pode voltar aos 20 anos com plásticas, mas uma Lya, consciente que é possível ter dignidade, respeito e admiração em qualquer idade...

E para fechar, um trecho de um texto da Lya Luft, que só quem chegou na idade que ela está, pensando e agindo como ela, é que pode ter autoridade pra escrever isso, sem que pareça um texto de autoajuda.

"...Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança.
Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.
Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for.
E que o mínimo que a gente faça, seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer."
(Lya Luft)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Amy Winehouse voltando! Êbaaaa!


Parece que Amy está se libertando finalmente desse maldito vício das drogas! Ou pelo menos se não se libertou totalmente, está pegando leve. E temos aí música nova, que vazou e já pode ser achada pela internet.

Soube de tudo isso pelo Blog do Rafael, que fez um post sobre ela, ontem. Fiquei super contente, porque acho que a Amy é uma das mais belas vozes que surgiu nos últimos tempos, ela pode ter envolvimento com drogas, escândalos, podem dizer o que quiserem dela, menos que não tem um puta vozeirão, daqueles que eu adoraria ter!

Particularmente gosto muito de suas músicas e estou doida para ouvir o novo CD, DVD e tudo mais que vier! Já baixei a música "It's My Party" e estou roxa de tanto que já escutei... rs...

Quem quiser conferir aí vai:



A quem interessar baixar a música, é aqui.

Sakineh morrerá amanhã! Ajude a divulgar!

Li o post abaixo no blog da Tatiana, Vida Bicultural e estou repassando, porque acho um absurdo que esse tipo de coisa ainda aconteça hoje em dia... Sem tempo para explicar o que acho disso na sua totalidade, mas repasso:

"DIVULGUEM!!!!!!!!! ABAIXO O TEXTO DIRETO DO JAPÃO, escrito por: (LOLIPOP). SAKINEH MOHAMMADI - ASHTIANI - PARA TODAS AS BLOGUEIRAS E BLOGUEIROS!

Lembram-se da SAKINEH?

Aposto que sim. Vi este rosto em muitos blogues, assinaram-se petições para evitar que esta Iraniana, acusada de adultério, fosse barbaramente condenada á morte por apedrejamento. Aparentemente os carrascos cederam. Falou-se até numa possível libertação. O caso Sakineh deixou de ser lembrado e comentado. Afinal de contas são tantas as causas a que temos que responder, e o Irão fica tão longe...Pensámos que tínhamos ganho uma vitória contra a barbárie. Mas os bárbaros estavam apenas á espera que a opinião pública internacional se cansasse, se calasse.

Depois, calmamente calaram as vozes internas mais preocupantes. O filho e o advogado de Sakineh foram presos a 10 de Outubro. Desde 11 de Agosto que as visitas foram proibidas, e o regime fabricou, na sombra, um novo cenário, anunciando que "de acordo com as evidências existentes, a sua culpa (de Sakineh) foi confirmada". Culpa? Que culpa é essa, que a fez ser punida com 99 chicotadas? Que culpa pode condenar alguém a uma morte cruel, desumana, atroz? Que culpa lhe atribuem para não a apedrejando, ainda assim a enforcar?

Foi contra isso que nos manifestámos, esquecendo que devíamos ter ido até ao fim pressionando, exijindo que a libertassem.

Hoje, fui alertada. Procurei na net. Está aqui, e aqui, em vários sites. Foi dada ordem para a execução de Sakineh, por enforcamento. A data indicada é amanhã, 3 de Novembro.

Temos 24 horas para usar os nossos blogues, as nossas vozes, para mostrar que não esquecemos Sakineh, que estamos atentos e que denunciamos não só a barbárie mas também a injustiça.

Sei que posso contar convosco!!!!!!!!!!!"

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Katherine - The Vampire Diaries

Vejo várias séries americanas, umas gosto mais que outras. Mas definitivamente a série que mais me encanta no momento é The Vampire Diaries.

Gosto de tudo que se relacione com vampiros, séries, filmes. Gosto desse vampiro moderno, sedutor, com força e rapidez além do humano, capacidade de hipnotizar, seduzir suas vítimas e acima de tudo a juventude eterna. Das fantasias que são apresentadas essa é a que mais me seduz...

Quando comecei a ver True Blood, que também é uma série sobre vampiros, fiquei encantada. Mas a segunda e terceira temporadas, não foram tão boas quanto a primeira. Já com The Vampire Diaries, aconteceu o inverso, a primeira temporada foi algo " Crepusculiano", com aquele vampiro bonzinho apaixonado pela mocinha e tal.

Na segunda temporada chegou a Katherine, que é a vampira vilãzona. Gente! Vampira e vilã eu me apaixono... ahahah... Ela é uma daquelas vampiras poderosas e maquiavélicas, que está sempre um passo a frente de todos. A mesma atriz que interpreta a mocinha, interpreta a vilã. E eu adoro essas duas faces de uma mesma moeda, sempre gostei disso...


É a série que mais me empolga, a que mais espero para ver. Talvez a que mais gostei até hoje, pela efeito que tem sobre mim...

Fica como indicação para quem curte!


P.S. Para quem pensa que sou só reclamação com as coisas da alma e da mente. Escrevi um post sobre o drama com meu cabelo, para o blog da Vaneza. Confiram aqui.

domingo, 31 de outubro de 2010

Hoje é dia de eleger o novo presidente!


Sinto uma empolgação por dentro, assim tipo quando saio para trabalhar na segunda-feira, depois de uma bebedeira e debaixo de um temporal. Super estimulante...

Para brindar esse dia maravilhoso, deixo um texto que circula na net, não sei de quem é a autoria, mas é muito bom!

PRECISA-SE DE MATÉRIA PRIMA PARA CONSTRUIR UM PAÍS


A crença geral anterior era que Collor não servia, bem como Itamar e Fernando Henrique. Agora dizemos que Lula não serve. E o que vier depois de Lula também não servirá para nada…

Por isso estou começando a suspeitar que o problema não está no ladrão corrupto que foi Collor, ou na farsa que é o Lula. O problema está em nós. Nós como POVO. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a "ESPERTEZA” é a moeda que sempre é valorizada, tanto ou mais do que o dólar. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família, baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nas calçadas onde se paga por um só jornal… E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as “EMPRESAS PRIVADAS” são papelarias particulares de seus empregados desonestos, que levam para casa, como se fosse correto, folhas de papel, lápis, canetas, clipes e tudo o que possa ser útil para o trabalho dos filhos …e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde a gente se sente o máximo porque conseguiu “puxar” a tevê a cabo do vizinho, onde a gente frauda a declaração de imposto de renda para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a impontualidade é um hábito.

Onde os diretores das empresas não valorizam o capital humano.

Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos.

Onde pessoas fazem “gatos” para roubar luz e água e nos queixamos de como esses serviços estão caros.

Onde não existe a cultura pela leitura [ exemplo maior nosso atual Presidente, que recentemente falou que é "muito chato ter que ler" ] e não há consciência nem memória política, histórica nem econômica.

Onde nossos congressistas trabalham dois dias por semana para aprovar projetos e leis que só servem para afundar ao que não tem, encher o saco ao que tem pouco e beneficiar só a alguns.

Pertenço a um país onde as carteiras de motorista e os certificados médicos podem ser “comprados”, sem fazer nenhum exame.

Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no ônibus, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar o lugar.

Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o pedestre. Um país onde fazemos um monte de coisa errada, mas nos esbaldamos em criticar nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos do Fernando Henrique e do Lula, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem “molhei” a mão de um guarda de trânsito para não ser multado.

Quanto mais digo o quanto o Dirceu é culpado, melhor sou eu como brasileiro, apesar de ainda hoje de manhã passei para trás um cliente através de uma fraude, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não! Não! Não! Já basta!!.

Como “Matéria Prima” de um país, temos muitas coisas boas, mas nos falta muito para sermos os homens e mulheres que nosso país precisa.

Esses defeitos, essa “esperteza brasileira” congênita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos de escândalo, essa falta de qualidade humana, mais do que Collor, Itamar, Fernando Henrique ou Lula, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são brasileiros como nós, eleitos por nós. Nascidos aqui, não em outra parte…

Me entristeço.

Porque, ainda que Lula renunciasse hoje mesmo, o próximo presidente que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada…

Não tenho nenhuma garantia de que alguém o possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Collor, nem serviu Itamar, não serviu Fernando Henrique, e nem serve Lula, nem servirá o que vier.

Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?

Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa “outra coisa” não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados….igualmente sacaneados!!!

É muito gostoso ser brasileiro. Mas quando essa brasilinidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, aí a coisa muda…
Não esperemos acender uma vela a todos os Santos, a ver se nos mandam um Messias.
Nós temos que mudar, um novo governador com os mesmos brasileiros não poderá fazer nada. Está muito claro… Somos nós os que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda nos acontecendo: desculpamos a mediocridade mediante programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe [sim, exigir-lhe] que melhore seu comportamento e que não se faça de surdo, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e estou seguro que o encontrarei quando me olhar no espelho.

Aí está. Não preciso procurá-lo em outro lado.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Parabéns pelo aniversário, Alexandre!

Figurinhas que se fazem de difícil, que se acham estrelas, geralmente estão na "geladeira"! Quando a pessoa é generosa, atenciosa, gentil, sensata, só tem a ganhar com isso! E o Alexandre é o exemplo de um cara simples, inteligente e sensato!

Conheci o Alexandre quando participei da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto "O melhor de mim". Me visitou e ficou. Sempre atencioso, sempre com comentários pertinentes, me fazendo ver a questão por um outro ângulo! Dá gosto de fazer uma homenagem para alguém assim, por isso que aos 45 minutos do segundo tempo, resolvi aderir a blogagem coletiva de parabenização pelo aniversário dele, mesmo já tendo escrito o que acho dele por toda a internet... rs... Ahhhhh! Ele merece! Ele merece! ehehehe

Ele é dono desse blog:

Que Deus te conserve esse cara inteligente, sensato, gentil e muito fofo!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Crise existencial com o tempo!

Estou em crise com a falta de tempo que me encontro. Aí, lendo esse post no blog da Monica, percebo que o que acontece é que reclamamos muito de falta de tempo. Mas será que a nossa falta de tempo é real, ou estamos gastando tempo com o que não vale a pena? Essa é a minha crise existencial!

Eu tenho acordado duas horas mais cedo do que acordava. Corro, corro, corro e quando vejo já tá na hora de sair para o trabalho. Lá o tempo não passa tão rápido... rs... mas é só eu colocar o pé fora do trabalho e parece o que tempo dispara. É sério! Olho o relógio a cada 10 minutos, na esperança que tenha passado só 5 e na verdade quando vejo foram 20 minutos que voaram.

Os finais de semana voam. Não sei o que tédio de domingo! De sentir que não tem nada para fazer! Não sei mais o que é sentir isso!! Quero urgentemente sentar e sentir tédio! rs

Gente! Isso não é normal! Então fico pensando, tentando entender o que está comendo meu tempo. Analiso, revejo e não consigo identificar. Só me resta uma resposta. Estou gastando tempo com algo que é dispensável e ignorando o que é essencial. Só pode ser isso! Aí a crise existencial bate feio! O que seria essencial e o que posso descartar? O que posso ou devo deixar de fazer? O que tenho que passar a priorizar? Me cansa tanto pensar nisso! E o que me dá mais ódio é ver mulheres com filhos, trabalhando, estudando e arranjando tempo para tudo! Só posso ser uma péssima administradora de tempo! Péssima!

Chega! Não quero mais escrever, porque está gastando meu tempo... rs... Mas se alguém quiser dar uma sugestão pode dar, mas pelamordedeus, nada politicamente correto, do tipo "faço o que eu digo mas não faça o que eu faço" rs.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Adoro animais!


Não me lembro de ter feito um post sobre esse assunto. Mas também isso não quer dizer nada, porque esqueço quase tudo, minha memória é péssima... rs... A verdade é que amo animais! Dos domésticos, o que mais gosto são os cachorros, porque são mais expressivos, demonstram e pedem carinho de uma forma exagerada, gosto disso!

Adoro porcos também! Podem rir, gosto mesmo, acho fofinhos, dá vontade de apertar! Já tive um porquinho de estimação quando era criança. Morava numa casa que tinha um grande terreno, numa área bem rural. E ali criamos de tudo. Tive coelhos, galinhas, cachorros, gatos, e o porco. Ele se chamava Chiquinho e todos os dias quando chegava do colégio, ele vinha correndo me receber. Se jogava no chão e abria as perninhas para eu cutucar a barriga dele... Ficava ali um tempão mexendo na barriguinha do danadinho...

Sempre tive uma relação muito próxima com animais. Criei uma galinha que se abaixava sempre que chegava perto dela, a colocava embaixo do braço e a levava pra todos os cantos. Sei que quando esses bichos morriam, chorava semanas e assim fui crescendo com essa ligação forte com animais.

Depois de adulta só consegui criar cachorros, porque passei a morar em apartamentos... Mas todos os meus bichos são como membros da família.

Gosto sempre de mandar um foda-se bem grande para quem gosta de vir com aquele discursinho idiota de que eu poderia estar cuidadando de uma criança abandonada, de um velhinho. Dá licença de eu querer cuidar dos bichos? Então foda-se, e vá você cuidar de alguma coisa! Para reforçar essa idéia trouxe um trecho de um post da Elaine Gaspareto que achei ótimo:

"...Nos meus resgates já ouvi de tudo: “Vai ajudar uma criança”, e “Vai cuidar de gente, tem tanto asilo precisando”. Sempre ouvi essas coisas de quem não ajuda ninguém, nem criança, nem idoso, nem animal. Quem ama, quem se compadece, jamais escolhe a quem ajudar, de quem se compadecer..."

Geralmente quem manda você parar de cuidar de animais e ir cuidar de gente, são pessoas que não cuidam de nada, nem de gente, nem de animal, nem de planta e nem da vida deles, porque ficam olhando a vida dos outros!

A Elaine lançou uma campanha fantástica! Se chama Me chama que eu vou, em que se compromete a mudar o layout dos blogs em troca de doações para campanha/blog/movimento Adote um focinho carente. Nossa! Achei demais essa iniciativa dela.

Estou participando da campanha e digo mais! Não vou doar uma única vez, vou doar mensalmente uma quantia para a ajudar os animais, não para mostrar o quanto sou boazinha, porque não sou! É para ver se estimula mais pessoas que gostam dos animais, a fazer o mesmo! Vamos lá gente! A Elaine está doando trabalho, que é mais difícil, dinheiro é muito mais simples, qualquer quantia!

Conto com quem compartilha da minha idéia e a da Elaine, divulgando!

Veja os dados para depósito:
Flávia G. Ricco
Banco Itaú
ag 6695
c/c 01410-7
Depósito identificado pela sigla UPM
Emails para: flavia.ricco@gmail.com

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Amigos virtuais...


Usamos o termo amigos reais para nos referirmos aos amigos que são feitos por outros meios que não a internet. Amigo de carne e osso, que podemos abraçar olhar no olho e tal. Mas amigos virtuais muitas vezes são tão presentes na nossa vida, que não podemos deixar de considerá-los reais.

O amigo virtual é o que está mais disponível. A gente liga o pc e ele está ali, sempre acessível, talvez nem sempre disponível, mas muito mais acessível que os nossos amigos reais. Basta um clique numa janelinha e podemos desabafar, trocar idéias, dividir nossas alegrias. É algo imediato, é como se o amigo virtual morasse contigo, ele está dentro da sua casa, nem que seja por uma tela, mas está ali podemos senti-lo...

Já os amigos reais podem não ser encontrados, e quando encontrados podem não estar disponíveis. Sem contar que pelo computador a gente relaxa mais, é fácil deixar os pensamentos fluirem. Porque sabemos que a pessoa do outro lado da tela, não está só te dando atenção, mas fazendo outras coisas na internet. Não necessariamente ele está ali para te ouvir, para conversar contigo, mas para isso também. Isso nos tira um peso de estar incomodado e tal...

Tem o amigo real, que mal aparece na sua vida. A gente sabe que ele está lá, que é seu amigo, mas a vida separou de uma forma que a gente mal se encontra. Por outro lado, tem o amigo virtual que está sempre ali, diariamente participando de tudo.

Não podemos esquecer do amigo virtual que também é real. Porque houve a passagem de forma para a outra, muitas vezes se mantendo nos dois níveis, estados, ou como queiram chamar. No meu caso é a Patrícia, que está presente na minha vida das duas maneiras. Converso com ela pelo msn e também nos encontramos...

Seja de que forma for, a internet criou essa nova forma de se relacionar, que para muita gente é a salvação de uma solidão total. É a tecnologia suprindo o ser humano de afeto. Muito interessante isso!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Não combina muito...



Muita gente acha que essa música é nova, mas foi gravada pela Gal Costa há muitos anos atrás. Sempre cantarolava essa música, gosto muito dela, acho fofinha e é de autoria de Chico Buarque e Edu Lobo. Mas uma coisa é certa, apesar de ter ficado ótima na voz da Maria Gadú, o arranjo super legal, a gente não consegue ligar a letra da música a imagem dela, que é praticamente um "homenzinho"... rs...

Tá bom, sei que arte não tem sexo, blá blá blá...
Mas soa mais ou menos como a Ana Carolina dizendo que é bi... rs

sábado, 16 de outubro de 2010

Indicações de blogs! (nº2)

Mais um post para indicar blogs que acompanho, curto e que vocês podem gostar:

Mulher de Fases - Gosto muito do jeito que a autora desse blog escreve seus textos. Geralmente gostamos de blogs por vários motivos, porque são divertidos, porque nos fazem pensar, porque mostram um lado do ser humano que a gente acha curioso. Já esse blog me identifico demais com muitos dos textos que a Mônica escreve. A impressão que tenho é que ela reage de uma forma parecida comigo, emocionalmente falando. Muitas vezes entro lá e tem um post que é exatamente o que estou sentindo. Super indico esse blog!

Sinapses - O autor desse blog é um rapaz bem jovem o que mostra que gente jovem pode ter opiniões bem formadas sobre a vida. Geralmente o pessoal mais velho tem um certo preconceito achando que a experiência de vida dá tudo que se precisa para raciocionar a vida. Mas inteligência e capacidade de análise são qualidades que não tem idade. O Allyson anda postando pouco, quem sabe agora ele se anime a dar uma esquentada no seu blog... rs... Indico como um blog que faz a gente pensar!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O motivo dos anos passarem rápido!


Gente! Eu adoro ler blogs porque sempre encontro um "Ovo de Colombo". Aquela frase, aquele texto, aquela expressão que a gente buscava e que não vinha de modo certo na nossa mente!

Vou colocar esse trecho de um texto que li no blog Meu Divã - BLOG OFICIAL e que achei simplesmente perfeito. Era a explicação que queria para quando me deparo com um texto de alguém reclamando de como o ano passou rápido, de como a vida hoje em dia passa mais rápido do que antes... Pelamordedeus, não foi o relógio que acelerou, gente!! Mas as nossas referências em relação ao tempo é que estão adormecidas!

Pode perceber que quando estamos dentro de uma situação muito ruim, ou muito boa, sentimos exatamente aquela fase. Mas quando nossa vida está monótona, tediosa, rotineira, a impressão consciente que temos é que o tempo custa a passar, mas o que de verdade ocorre no nosso cérebro é que não percebemos, não sentimos, ficamos absolutamente anestesiados pela repetição dos acontecimentos...

Pessoas mais velhas sentem menos o tempo passar, porque nada é tão novidade assim, elas já vivenciaram muitas situações. Para as pessoas mais novas tudo é intenso, é um desafio constante, então o tempo não passa sem que elas percebam...

Bem, vou colocar o trecho do texto, porque ele explica bem melhor a idéia e o restante se quiserem ler, deixo o link no final, para esse post não ficar maior do que já vai ficar... rs:

"O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos.
Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio... você começará a perder a noção do tempo.
Por alguns dias sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.
Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol.
Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar:
Nosso cérebro é extremamente otimizado. Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.
Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia. Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade.
Por isso a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando você vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo.
É quando você se sente mais vivo!
Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo 'automático' e 'apagando' as experiências duplicadas.
Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente.
Quando começamos a dirigir automóveis, tudo parece muito complicado, nossa atenção parece ser requisitada ao máximo.
Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo.
Como acontece? Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); o cérebro já sabe qual marcha trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa, no lugar de repetir a experiência).
Ou seja, você não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura da placa são apagados de sua noção de passagem do tempo.
Quando você começa a repetir algo exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida.
Conforme envelhecemos as coisas começam a se repetir - as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações... - enfim... as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo.
Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, ano ou, para algumas semanas, na década.
Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a... ROTINA..."

O restante do texto aqui.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Perguntas e respostas

Quem me acompanha a mais tempo sabe que não gosto de listinha, memes e afins. Então se me passarem correm o risco de não responder. Mas quando gosto de um, mesmo que a pessoa não tenha me passado, eu faço. Esse me foi indicado pela Cigana do Oriente, no entanto quando comecei a ler já tinha a intenção de fazer, mas só no final vi a indicação. Aí vai:

1 – Se me dou bem com a minha sogra?
Sempre me dei bem com as sogras, nunca tive do que reclamar nesse sentido, todas me trataram bem. A do meu primeiro marido, ficamos amigas de visitar uma a outra, mesmo depois que ele me deixou e a do segundo também me dei bem.

2 – Qual o seu desafio?
Acho que o desafio da minha vida foi sentir sem que isso detonasse minha vida. E ainda continuo sem saber direito como fazer isso. Parece que sempre que deixo que a paixão, o meu lado emocional aflore, a minha vida desanda... É estranho isso! Melhorei muito, mas ainda falta.

3 – O que diria a seu chefe se ganhasse a Loteria?
Diria que vou chegar as duas da tarde. E quando chegasse, diria que faltaria no dia seguinte, trabalharia mais uns dias e faltaria outros sem dar satisfação, sempre quis fazer isso!

4 – Que farias se descobrisses que alguém te está mentindo?
O que faço sempre, começo a traçar um plano pra que a pessoa se enrole, mas só se for uma pessoa que me importe, caso contrário, largo pra lá...

5 – Se tua casa sofre um incêndio e apenas podes salvar uma única coisa, que salvarias? .
Meu computador querido! ahahaha

Porquê?
Não sei viver sem ele... rs

6 – Entras num local com muita gente, que fazes?
Se não for pra fazer algo que seja obrigada, saio e não retorno. Odeio muvucada! Gosto de ver gente, sou bastante urbana, mas não gosto de ninguém esbarrando em mim!

7 – Vês um recipiente meio cheio ou meio vazio?
Depende do dia, mas acho que na maioria meio vazio. Tá! Vão dizer que sou pessimista... rs

Por que?
Porque olho e acho que alguém tirou algo. Que pergunta, né?

8 – Encontras uma Lamparina Mágica. Que três desejos pedes?
Saúde, sem dúvida em primeríssimo lugar, depois dinheiro e em terceiro muito mais dinheiro... rs... Não sou materialista, tá! rs... É que o mundo não é perfeito mesmo, não vou ser feliz 24 horas, melhor que seja com bastante dinheiro. Com ele posso me ajudar e ajudar melhor quem me cerca...

9 – O que te levou a criar um blog?
A necessidade de me expressar, de colocar meus demônios pra fora, minhas angústias, e minhas análises de vida. Escrever mantém minha sanidade!

10 – Se fosses um dinossauro, como te chamarias?
Não sei, não me interesso pelo assunto e nem sei quem é quem naquele mundo de monstros...

11 – Você mudaria algo no seu passado?
Teria saído das casa dos meus pais pra morar sozinha, uns 12 anos antes! Teria usado drogas por menos tempo, ou seja, teria feito algo pra mudar minha vida mais cedo!

12 – Qual é o teu Sonho?
Se eu fosse um mulherzinha normalzinha, diria que é encontrar um grande amor e viver com ele até morrer... Mas não consigo me ver dentro desse sonho, que é o sonho da maioria das mulheres que me cerca. Acho que sou de pequenos sonhos. Gosto de ter objetivos constantes a serem alcançados. É isso que movimenta minha vida, saber que daqui a alguns meses estarei realizando tal coisa. Acho que no momento meu sonho é uma saúde legal para mim e minha família, mesmo que não viva muito perto deles... Não, eu não sou boazinha!

13 – O que de mais vergonhoso fizeste?
Essa é pesada! Vamos lá! Preparados? Colocar os comprimidos que com que me drogava no leite da minha mãe, para ela me deixar em paz. Ela ficava chapadona e dormia o dia todo. E eu pouco me importava com isso na época. A droga faz isso contigo, ela tira toda sua dignidade, todo seu caráter, toda ética, todo bom senso, todo sentido de humanidade que você tenha...

14 – Se fosses um animal, qual serias?
Um cachorro lindo e fofo! Um cachorro pequeno, de madame, bem paparicado... rs

15 – O que nunca farias por dinheiro?
Não torturaria ninguém, nem fisicamente, nem psicologicamente...

16 – O quê ou quem é capaz de tirar-te do sério?
Nossa! São tantas coisas! Machismo, mulher machista, quem maltrata velhos, crianças e animais, filas enormes me deixam completamente irada, falta de luz. Telefone me aborrece demais. Olha eu sou muito irritada com muita coisa, melhor parar por aqui! rs

17 – O que fizeste em tua Vida de que tenhas tanto orgulho?
Ter dado uma virada total na minha vida, sair de uma fracassada total em todos os sentidos, para ser alguém que funciona em quase todos os sentido. Disso me orgulho bastante!

18 – Como gostarias de te enamorar?
Sinto falta de me apaixonar, só de vez em quando. Gostaria de encontrar um cara que não me sufocasse, que fosse parceiro, mas não quisesse morar junto. Que cada um ficasse na sua casa. Nossa assim seria tão bom. Mas não penso muito nisso no momento. Se aparecer bem, se não aparecer tá bem assim...

19 – Com que personagem, famoso ou não famoso, gostarias de parecer-te?
Amo as vilãs! A Raquel de Mulheres de Areia, é minha vilã predileta. Destemida, ardilosa, charmosa, sabe o que quer.

20 – O que prezas mais na Vida?
Amigos e saúde, tendo dinheiro, claro... rs

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Futilidades feminina...

Nós mulheres quando nos voltamos para cuidar da beleza, imediatamente ganhamos o rótulo de fúteis. Ora! Se não nos preocupamos com as ditas futilidades, acabamos com uma aparência medonha. E os próprios homens que reclamam das tais futilidades, não gostariam de ter uma mulher "essencial" ao seu lado. Isso eu garanto! Uma mulher toda peluda, descabelada, manchada, desarrumada...

Infelizmente as ditas futilidades femininas, que incluem roupas, cosméticos, maquiagem, perfumes, depilação, manicure, cabeleireiro, são o diferencial entre o ser feminino e o masculino. Não tem jeito de fugir disso. Eu mesma adoraria poder ignorar completamente tudo isso!

Lista de futilidades femininas que detesto!

- Comprar roupa, sapatos, bolsas, cintos e afins...

- Ir a manicure...

- Fazer depilação...

Lista de futilidades que suporto:

- Ir ao cabeleireiro...

Lista de futilidades que adoro:

- Cosméticos e perfumes.

O que odeio de verdade, do fundo da minha alma é ter que fazer tudo isso funcionar harmonicamente todos os dias. É como se a gente tivesse que manter vários pratos rodando o tempo todo. Muito chato de verdade!! Mas vou lá e faço, mesmo detestando.

Agora o que me tira do sério, é quando duas mulheres se encontram e vão trocar suas novidades de beleza e logo pula um intelectual desleixado e diz que somos fúteis! Fúteis o caralho!! A questão é que tenho que me manter arrumada!

Se a gente se arruma é fútil, se a gente relaxa é porca desleixada!

Será que dá para parar de perseguir as mulheres nesse sentido?

Passar um creme no rosto, comprar uma roupa nova, fazer uma escova no cabelo, não vai impedir nenhuma mulher de pensar, de se importar com as coisas da alma... Pensem nisso! Porque eu penso sobre tudo, paralelamente, enquanto estou lá envolvida com meus rituais de beleza...