sábado, 17 de abril de 2010

Que venham as novas etapas!


“É importante,sempre,saber quando termina uma etapa da vida. Se você insiste em permanecer nela, além do tempo necessário, perderá a alegria e o sentido de tudo o mais.
Encerrando ciclos, fechando portas, ou encerrando capítulos, como queira chamar, o importante é poder encerrá-los, deixando ir momentos da vida que se concluiram..."
(Texto de Carmen Arabela, caso queira ler na íntegra, ele está aqui)

Sempre tive isso em mente! Que se não vivemos uma etapa da vida completamente, até a exaustão, sempre ficamos com a impressão que algo poderia ter sido feito, aproveitado, mudado, tentado...

E quando não saímos de uma etapa da vida depois que ela findou completamente, acabamos "apodrecendo". Perdemos o brilho nos olhos, perdemos a vontade de viver, ficamos sem rumo. Perdemos a percepção que uma infinidade de caminhos estão a nossa frente, só esperando que a gente deixe aquele estágio desgastado para trás...

Quantas vezes ficamos assim paralisados de medo do novo, arrastando um casamento fracassado, amizades que só nos magoam, convivência com parentes que detonam nossa autoestima... Quantas vezes morremos numa etapa, por puro medo do novo...

22 comentários:

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Engraçado como eu penso certas coisas e qdo leio seu blog vc postou algo que tem super a ver...
Eu sempre tive muita dificuldade pra encerrar coisas. Depois que saí do meu emprego fiquei um tempão remoendo e me sentindo mal, já mantive por anos amizades que só me faziam mal e na vida amorosa então, é muito difícil eu parar de lembrar do que era bom e ficar remoendo o que foi ruim... Acaba que eu só saio mesmo de uma fase depois que outra coisa parecida já começou, e como às vezes demora, eu fico um tempão presa no que já passou... É uma coisa que a gente precisa trabalhar sempre.
Adorei seu post.

Bjus

lpzinho disse...

Eu nem sei bem o que comentar sobre o texto, uma vez que estou com ele na cabeça há dias, desde que o ouvi... o que com certeza é ainda mais contundente do que sendo apenas lido. É uma porrada e putz, eu sou meio assim: Quando leio algo, sempre acabo achando que alguma parte serve de alerta, serve de aprendizado... em outras acabo me encontrando no meio das palavras e neste texto, nossa.. eu era letra, palavra, ação, emoção e me sentí realmente reflexivo. Será que eu sei reconhecer qdo acaba uma etapa? Ou qdo colocar fim a um tempo? Ando assim mesmo... enfim, obg pela referência, amizade e carinho! Um beijo!!!

Flávia Batista disse...

Medo do novo... acho que todo mundo tem, né?!
mas uns tem mais coragem pra encarar o mnovo que os outros... Esses são de admirar!

=**

Robson Schneider disse...

Posso fazer aquela cois tipica de quem não leu o post e quer fazer tipo? não vou resistir a esse parágrafo do seu texto... ele traduz minha postura atual e definitiva...
"Quantas vezes ficamos assim paralisados de medo do novo, arrastando um casamento fracassado, amizades que só nos magoam, convivência com parentes que detonam nossa autoestima..."

Não fico mais.
Beijos minha muito querida

Ju disse...

ahhh.. inúmeras. fazemos isso muitas e muitas vezes. Mesmo sabendo que não devemos.

E até mesmo sem perceber. O que é pior!! :/


bjos

Jean Valjean disse...

É incrível, não? Às vezes me parece que vivemos em simbiose com nossos parasitas. Ou então que nossos heterônimos ficam uns sobre os outros, numa relação de epifitismo das mais deletéreas, e nada.
Por medo do novo nos 'acomodamos' cancerigenamente ao passado de metástases. Este assunto me é bastante familiar. Luto contra isso a cada instante de minha vida, e às vezes me vejo enlaçado nos erros já cometidos. Sofrendo, mas persistindo no sofrer - tipo: sofrer por sofrer, sofro onde já sei como o sofrimento é.
Encerrar uma etapa é sempre decisão que impinge sofrimentos, mas... putz, precisa demais se realizar, senão não crescemos.
Cada vez que penso nisso lembro de "O Crocodilo", de Dostoiévski: Carlinhos engole pela metade o funcionário público, e eles ficam lá, no meio do shopping a céu aberto, em imorredoura e pachorrenta situação: o crocodilo não consegue engolir o resto do corpo do funcionário, pois o terno que ele usa é de lã grossa, pelo que os sucos gástricos do bicho não o digerem; e o funcionário se alimenta justamente dos sucos gástricos do crocodilo.
É horrível para os dois, é nojento, mas não conseguem sair daquela situação. O Autor se referia à burocracia na Rússia de então, mas por que não pensar nas situações que não digerimos, e que não nos digerem, e que nos fazem prisioneiros?
Acho mesmo é que nascemos com uma jaula no cérebro, de aço inviolável, e acho ainda que coração devia ter neurônio. Dois grandes erros da natureza.
Lutar contra é muito difícil, mas quando conseguimos nos desevencilhar, e depois da fase de desespero e/ou prostração, a vida se renova... e aí, haja vida, não?
Será que temos medo é de ser felizes?

Mulher Vã disse...

Ê tapa que arde e faz acordar!

Denise disse...

O maledeta zona de conforto.

É preciso voarrrrrrrrrr pra outras paragens

afagos de ousadia

Atitude: substantivo feminino. disse...

A gente sempre acha que uma vírgula irá resolver o problema. É preguiça de ponto final?

B-jou!

(vc nunca mais deu notícias da sua saúde, baby. Já se resolveu com o plano?)

lpzinho disse...

Pra vc ver... escrevi nesta segunda-feira um post onde mostro o qto não sei direito nada sobre nada ehehehe... qdo mudar, qdo aceitar, qdo saber a hora de encerrar um ciclo, começar outro. Enfim, eu to assim. Mas é geral, é na vida, é de casa, é de amor, é de internet.. tudo! o_O
E agora?

Bjooo.. boa semanaaaa Dama!

Laly Ribeiro disse...

Nem preciso mencionar que estou vivendo essa fase! Ainda com medo do novo ou talvez apenas sem força para mudar, mas aos poucos estou começando.. por exemplo já pedi demissão!!! Rs

BJKS

Celamar Maione disse...

Hummmmmm logo pela manhã lendo um texto cheio de sabedoria. Preciso abandonar uma situação que me incomoda e estou em cima do muro . Mas vou esperar a " coisa" dar uma clareada !
Fico pensando, Dama, caramba, já tive coragem de jogar tanta coisa para o alto e acho que vem chegando a hora de jogar mais uma.
Belas palavras ! Vou refletir. Estamos sempre nos " reinventando" , principalmente os geminianos.
Depois vou ler o texto todo.

Amei ! Amei ! Amei !

Um beijaço pra você.

Celamar Maione disse...

Comentário lúcido e fantástido do Jean Valjean !
Parabéns.
Acho que vou voltar aqui hoje para reler tudo. Preciso ler e reler. Ler e reler.
bj

Accácia disse...

Acho que meu primeiro comentário se perdeu...
Concordo com cada vírgula do que vc postou,afinal são sempre as pessoas mais próximas que conseguem nos detonar.
Afinal que está longe não tem a oportunidade de fazê-lo!
Beijos!

SAL disse...

me reconheci por completo!!!
esse texto fala muito dessa fase que eu estou vivendo!!!

bjo

Tiago M. disse...

é e muitas vezes eu faço isso, acho que todo mundo faz, e como eu digo, não adianta estar sofrendo, com dor, so mudamos quando estamos cansados ao maximo de uma situação ...

bjs minha linda!

lpzinho disse...

=) Passei por aqui, refletindo um bocado. Hj em especial pq algo está acontecendo e eu não percebi o que é. Te amo... saudade!

DESASSOSSEGADA disse...

A maioria das pessoas teme o desconhecido, fica preso em relações que não lhes faz feliz por puro medo de mudar, eu prefiro as tempestades mesmo que seja daquelas bem forte, porque depois vc acaba reconstruindo muito melhor e cuidando para nao cometer os mesmo erros passados.

Logico que tenho muitos medos, mas ainda assim acredito numa vida intensa nada morno.

bjos

Mulherzinha Sim! disse...

Graças à Deus, uma qualidade que eu tenho é não ter medo do novo. Na minha vida, sempre arrasquei em muitos momentos.Larguei um emprego estável para ser estagiária de jornalismo. Depois, joguei tudo para o alto, quando eu estava em uma rádio, porque tava de saco cheio do chefe. Fiquei na pista desempregada... Por último, troquei um emprego (que eu meio que já estava saturada com o miserê que eu recebia) e arrasquei ir para um temporário em outra empresa. Tudo deu certo e estou aqui até hoje! Esses são apenas alguns pequenos exemplos.

O único ciclo da minha vida que eu ainda não encerrei é um amor. Gosto de um cara há 10 anos! Nesse período, já namorei cinco anos com outro, já sai com centenas de outros, mas nada o apagou da minha vida. Acho que essa história já deu o que tinha que dar. Mas cadê que eu consigo colocar um ponto final definitivo?

Beijos

www.mulherzinhasim.blogspot.com
www.formspring.me/mulherzinha

lpzinho disse...

Gostei do que escreveu a mulherzinha acima hehehe e enfim, apareci de novo por aqui pq é engraçado ter a noção de que é preciso mudar, que já se encerrou um ciclo e não ter noção, nem idéia de como mudar, pra onde ou como ir adiante!! Socorroooo!!! >_<

Beijos amiga... com mto carinho sempre!

Gisley Scott disse...

Pra abraçar o novo é necessário dirigir prestando atenção o que está adiante e não ter o retrovisor como espelho base, se não a gente bate!

ótimo texto!
tenha um ótimo fds!

silvioafonso disse...

.


As pirâmides do Egito, o amor de
mãe e a sensação da liberdade não
envelhecem.

silvioafonso.






.