sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Decisões...


Às vezes, quando acho que tudo vai melhorar, vem uma ventania e bagunça tudo. E olha que sou uma pessoa da batalha, não fico sentada chorando a vida. Sempre arregaço as mangas, mesmo que um dia ou outro esteja me sentindo tão vunerável, que se alguém me chamar de feia, eu desababo.

Não sou indecisa, e já até fiz post sobre isso, sou insegura, sinto muito medo de coisas até idiotas, e quase medo nenhum de coisas que amedrontam a muitos. Esse é um ponto que queria ser como as outras pessoas. Não ter medos bobos e temer o que a maioria teme. Talvez o que sempre tenha querido é me encaixar...

Existe uma diferença marcante entre ser indecisa e insegura. Indecisa é a pessoa que nunca sabe se faz isso ou aquilo, por menor que seja e tem a ver com insegurança. Mas ser insegura nem sempre quer dizer que a gente não consiga tomar decisões rápidas, apenas acompanha o medo do resultado.

Estava me sentindo renovada porque finalmente tinha colocado para andar dois projetos importantes na minha vida. Mas de repente os dois se esbarraram e para seguir com um preciso parar o outro e qualquer um que pare, terei prejuízos emocionais, materiais, sociais, etc.

Nessas horas fico muito indecisa, quando tenho que escolher entre o ruim e o péssimo. Saber qual dos dois é pior. Nossa isso me consome e me deprime. Quando vislumbro uma alternativa melhorzinha, imediatamente me decido por ela. Mas nesse momento tudo que queria era um milagre!

Seria tão bom que quando estivéssemos diante de um impasse, algo mágico acontecesse. Mas isso não ocorre e fica só o gosto amargo de decidir entre o podre e o mofado.

20 comentários:

San disse...

pois bem se precisa de um milagre acredite nele , peça para ELE o discernimento, acredite em voce , acredite NELE (DEUS) creia que esta fazendo a melhor escolha e se la na frente perceber que não era melhor , ao menos terá a certeza que tentou o melhor caminho .

bjsssssss

Thatay Rodriiguês disse...

Sei exatamente o que você quer dizer, e nisso eu sou completamente igual a você. O ultimo post foi quase sobre isso, sobre ter medo de uma coisa que pra maioria é banal.
Mas nunca é banal, o problema é que somos conscientes demais. A gente tem consciência da extensão do problema, e pior, das consequências dele.
As vezes as consequências de uma coisa "banal" é bem maior do que aquele bixo de 7 cabeças.
E nisso, dá-se o medo. Dá-se também a insegurança, que nada tem a ver com indecisão o fragilidade.
É o medo de saber que aquela bobagem é só a ponta do iceberg.

Façam valer.

Lady Murphy disse...

Decidir sobre o que abrir mão, principalmente quando são projetos já começados, é horrível. É preferível decidir por colocar um ou outro em prática antes do início. Pior é quando ambos estão dando certo e mesmo assim um tem de ser abandonado. Me corta o coração. Mas não sou boa com sugestões para esse tipo de coisa (mesmo porque não sei do que se trata).

Se estivesse em seu lugar também estaria nesse dilema, à espera desse milagre, porque, pelo jeito, de qualquer forma você vai perder alguma coisa. E alguma coisa boa.

A unica maneira otimista de encarar essa decisão é pensar que vai se dedicar total e inteiramente a um dos seus projetos e isso talvez faça com que esse prospere mais do que se fosse paralelo ao outro.


Sorte aí.
]
Abraços,

Mateus Luciano disse...

força!

Paula Li disse...

Oi Dama, diante desta situação que você retratou, fica até difícil opinar. Mas quem sabe lá na frente a situação não se reverta a seu favor?
Os milagres nem sempre são instantâneos...

O Guri disse...

Também me decepciona não ter algo bom pra te dizer nessas horas. Tem um monte de gente precisando de um comentário de bondade meu, e eu não consigo dizer nada. Acho que porque eu também quero um comentário gentil. As coisas não estão fáceis pra ninguém, mas pelo menos não estamos sozinhos. Temos um ao outro pra viver com problemas...

Eu vou te deixar um vídeo muito fofo sobre daonde vem os bebês que me fez rir um pouco. Quem sabe eu posto no brogue depois.

http://www.youtube.com/watch?v=CojRPtwTCvM&feature=related

Perfeito!

Roderick Verden disse...

Costumo ser indeciso, e de uns tempos pra cá, assumi minha insegurança. Tenho meus medos, não gostaria de ter medo algum, mas...

Os altos e baixos da vida, enchem o saco!

" fica só o gosto amargo de decidir entre o podre e o mofado.". Dura realidade!

Bom domingo, Dama!

VaneZa disse...

Amiga, eu sei que não vai acontecer um milagre, mas, sabe, eu tenho percebido ao longo dos anos que alguma coisa sempre acontece, como se fosse uma luz no fim do túnel que dissesse... "é por aqui". Pode parecer meio louco, mas parece que as coisas vão se acomodando se ajeitando e por fim, dão certo. E eu já fico feliz só de ler que vc conseguiu botar pra frente dois projetos... olha aí... cara, não é todo mundo que consegue isso, se o negócio empacou, mas dá pra levar um ainda, oxe, tá vendo? Ainda é muita coisa.

Sinto esperança nesse post... sinto um tom diferente. Sei que vc já tá conseguindo organizar muita coisa por aí.

BeijoZzz

Dêco disse...

o universo não colabora né?
faz as contas e ver o que causa menos estrago.
beijo1s

C. disse...

Quando me sinto nessa "sinuca" prefiro ficar quietinha e nao decidir nada. Respiro, dou um tempo, e aí sim a resposta acaba vindo. Mas de imediato mesmo só dou bola fora e me arrependo depois.
Acho que atualmente meu maior medo é do mercado de trabalho que pra nós mulheres é muito restrito (por causa da idade), e injusto (por pagarem menos pra nós do que pra eles). No demais, nao sou nem nunca serei nenhuma heroína, mas driblo bem as inseguranças e medos.

Boa sorte na decisão, que com certeza refletirá lá na frente, que Deus te ilumine!

Atitude do pensar disse...

Sou muito racional, memso sendo d euma sensibilidade exarcebada. Penso nos mínimos detalhes, mas sou MUITO medrosa e detesto fazer escolhas.
Se eu pudesse, teria padrinhos mágicos, assim, caso algo desse errado, bastaria uma mágica. hehe

Pandora disse...

"... sou insegura, sinto muito medo de coisas até idiotas, e quase medo nenhum de coisas que amedrontam a muitos. Esse é um ponto que queria ser como as outras pessoas. Não ter medos bobos e temer o que a maioria teme. Talvez o que sempre tenha querido é me encaixar..." Me identifiquei com essa sua afirmação!

Nesses momentos onde só resta escolher entre o podre o mofado eu costumo pensar pouco e agir mais, porque se eu pensar demais eu travo e não faço mais nada!

Patricia Daltro disse...

Nossa, poucas vezes li um post onde do inicio ao fim dele, fiquei pensando: "isso foi escrito pra mim, não foi?" Por que PQP (desculpa o palavrão) é EXATAMENTE o que estou passando e desejando. Embora, um lado meu saiba que muitos milagres já aconteceram em minha vida, dai acho que a minha cota se esgotou. rs

E ao ler o post anterior, e a pergunta: "Por que não comigo?" acho que o melhor é ficar quietinha e refletir, por que hoje, te lendo, recebi algumas respostas que precisava. Obrigada!

Ju Ramalho disse...

Eu já passei por isso e te digo a gente se prepara pra passar por uma onda tubo e depois que passa olhamos e vimos que foi uma marola tal qual tivemos coragem de passar.


Querida tem coisas que só se curam com remédio amargo... vai por mim...

Bjo e na torcida por dias melhores pra nós

J@de disse...

Eu sou bem parecida com vc nessas horas, embora seja um pouco mais acomodada. Mas é foda ter que decidir entre o ruim e o pior, é difícil, o jeito é pensar, pensar, pensar...
Beijos!!

Malu Machado disse...

Olá, peço licença para entrar no seu blog. Vim aqui pela curiosidade no comentário feito pela Elaine no blog dela.

Me identifiquei com este texto. Ando passando por um problema que perdura há alguns anos e sempre fico a espera de uma solução mágica. COmo ela não vem, há dias em que deixo a desesperança tomar conta de mim. Em outros, tento acreditar em finais felizes. Assim vou levando.

Abs,

euemeuimbigo disse...

Oi, Dama!
Vou comentar por atacado...rsrsrs
Primeiro, essa coisa de não se poder ser resmungona, reclamona e amarga vez ou outra (ou, dependendo do período que se esteja vivendo, vez em sempre, por que não?); eu sou tudo isso muitas vezes, é meio difícil, para mim, estando viva e observando o mundo, estar sempre no estilo 'tralálá...que vida bela!' E um blog, sendo muito melhor para escrever o que nos move, do que um diário, deveria trazer alguma liberdade, mas é certo ser necessário um jogo de cintura para aguentar os patrulhadores de plantão. Ou não.
Depende da pessoa e da situação; normalmente mando à m...quem fica me aporrinhando por causa do meu azedume, isso na vidinha cotidiana, imagina se vem alguém me criticar no meu pequeno espaço virtual.
E isso que você fala no Por Que Não Comigo? Aí, penso, está a diferença fundamental entre alguém resmungão mas com senso crítico e alguém do tipo tralálá: os azedos (que são diferentes das "vítimas") percebem a ironia e a justiça da coisa; todos sofremos, indistintamente e alguns sofrem muito mais. Um tipo tralálá, na maioria, não consegue lidar com o lado ruim da vida sem começar com a cantilena do por quê comigo? É só a minha opinião, mas penso que lhes falta a profundidade da aceitação das coisas boas e ruins, dando o devido peso a cada uma. E finalmente, por posts como o Decisões...é que eu acho válido um blog. É sempre possível perceber que nossas idiossincrasias não são só nossas. Também eu não sou indecisa (faço mais a linha: prefiro me arrepender do que fiz do quê das coisas que não fiz); mas sou muito insegura acerca das consequências dos meus atos e decisões.
Quanto à decisão que você precisa tomar ( ou, a essas alturas, já tomou), só posso dizer que em situações assim, peso e analiso o que for possível, tomo a decisão e me preparo para o que vier, aceitando o que vier da melhor forma, e tento muito não ficar pensando no famigerado ..."e se..."
Um abraço e boa sorte!

Louh Marques disse...

Boa noite, Dama!
Well, algumas vezes tive que optar por abandonar namorados, pois me puseram entre a cruz e a espada, dizendo que eu tinha que escolher entre a minha música e eles... Sei que não se compara, pois uma escolha dessas é tão fácil de tomar decisão, que acho que nem pode ser chamada de "escolha", mas sei que não é o seu caso, pois ambos os projetos são importantes prá você. O que posso dizer? Não muito, apenas que Deus te ilumine em sua decisão e que, após tomada, seja tão bom prá você, que não te deixe folga prá que fique pensando em como sería se não precisasse ter tido que escolher!
Rockiss!!!

Mayara disse...

É dificil escolher entre ruim e pior ainda, principalmente se, assim como eu, você for indecisa e insegura. Espero que sua escolha tenha resultado melhor do que você espera! Muita paz!

Suzi disse...

Escolhas são realmente muito difíceis!!!

Vale pensar minuciosamente e seguir em frente com o que parece mais cabível no momento, mesmo que do outro lado, você também tenha percas!!!

Força!!

Beijos