terça-feira, 26 de julho de 2011

Amy e outras coisas...

Acho que vou continuar escrevendo nesse blog, porque, ultimamente, ele tem mais a minha cara, o jeito do descompromisso. Aqui posso relaxar, não preciso pensar se o tema é bom ou não, se tá bem escrito ou não. O texto flui despretensioamente. Aqui posso ser a mulher medrosa e não a figura Dama de Cinzas que não corresponde com meu eu atual.

Sim, confesso, não consigo ficar sem escrever. Nunca quis ser escritora, mas acho que necessito escrever para não enlouquecer. Ainda mais nesse momento em que me sinto bastante só.

Não é novidade para ninguém que não ando bem. E desde que soube da morte de Amy Winehouse, uma ressaca emocional se instalou em mim. Queria muito que a vida fosse uma questão matemática, do tipo "se você tem talento, irá utilizá-lo ao seu favor", "se você batalhou muito, irá conseguir aquilo pelo que lutou", " se errou, você paga", " se acertou, você ganha". Mas a vida não é assim tão matemática. O que vemos para todo lado são pessoas que aparentemente tem tudo e estão infelizes. Já outros, muito felizes com vidas que jamais sentimos vontade de viver.

No domingo tava vendo vídeos no Youtube do último show da Amy na Sérvia. Nossa! Aquilo me deprimiu demais. Ver o quanto as pessoas que ganhavam dinheiro as custas dela, ajudaram a matá-la. Uma mulher naquelas condições jamais poderia sair de casa, muito menos subir num palco para dar um show. Será que os músicos, os produtores do show, enfim, todos não sentiam culpa por estar participando de um circo dos horrores?

Ontem no meu trabalho, ver o jeito como falavam dela, com desprezo, algo como "quem mandou procurar a morte?". E perceber que alguns que falam são pessoas pequenas, mesquinhas, que vivem num mundinho preconceituoso. Sinceramente não tive vontade de argumentar nada. Conversei com uma amiga que senta na minha frente, pois ela sei que entende, afinal sabe que sou uma ex-viciada, os outros não. Sentia que de uma certa forma aquilo tudo era dirigido a mim. Não importa se saí das drogas, se soubesse que sou uma ex-drogada, imediatamente me colocariam um rótulo. E melhor nem pensar que tipo de rótulo...

Essa amiga me disse que quando morreu Renato Russo, de quem ela é fã, o que mais doeu era saber que nunca mais iria escutar nada novo dele, que nunca mais iria ver shows novos. Acho que é isso que um fã sente, abandonado pela arte do seu ídolo. Pouco importa a vida que levava.

Vou deixar um vídeo da Amy, com as imagens que quero me lembrar dela. Um dia ela também foi assim.

19 comentários:

Roderick Verden disse...

Não estava preparada para o sucesso? Não estava preparada para a vida?
Bebo regularmente. Já dei alguns vexames, mas parei há muito tempo. Hoje bebo com equilíbrio, o q muitos não concordam, pois bebo diariamente...

O comportamento humano é complexo demais para ficarmos julgando um ao outro. Uns acham q a Amy foi uma vítima do sistema, outros já a criticam, até a crucificaram pelo seu comportamento.

No Pink Floyd, segunda metade dos anos 70, seus quatro integrantes consumiam drogas. Só um deles pirou: Syd Barrett, um consumidor compulsivo de LSD.

A ex-mulher do cantor Paulo Sérgio chegou ao cúmulo de dizer q o mesmo passou a abusar do uso de bebidas alcoólicas, devido sua sofrida vida. Ora, quantos têm uma vida sofrida, e nunca colocaram alcóol em suas bocas?
Por que eu bebo e meu único irmão não bebe?
Por que nunca usei drogas, as ilícitas? Bem, sou meio caretão e não gosto de fazer nada ilegal, não curto correr certos riscos.

Bem, acho q escrevi muito e não disse absolutamente nada, assim como aqueles que tentam, em vão, entender o comportamento humano, entender o sentido da vida.

Pandora disse...

Engraçado, ontem na academia as senhoras também estavam falando de Emy, mas não julgavam ou condenavam... Talvez por nós estarmos habituados a vê nossas crianças e adolescentes se acabando em drogas... Quem de nós não tem alguém assim na família?!?!?!

Enfim... para mim Emy, Cazuza e Cassia Eller sempre serão as vozes que me acompanham nas longas manhãs e tardes nos arquivos enquanto, no eterno trabalho de vasculhar nos jornais e livros a vida dos que se foram, mas um dia estiveram aqui e como eles viveram, amaram e até creram néh!?!?

Cheros Dama!

meu cantinho disse...

Olá!!
Também tive essa mesma sensação que você citou. As pessoas do meu trabalho não entendem nada de música e voz. Preferem ficar horas e horas discutindo a forma que ela levava a vida. Em momento algum alguém fiou triste pela perda da artista.
Falar é fácil, vivenciar é que é difícil. FORÇA PARA VOCÊ SEMPRE!!!!
BEIJOCA

Atitude: substantivo feminino. disse...

Quem dera que essa matemática existisse...mesmo...
Aplaudir o circo dos horrores Dama, a bizarrisse..isso é fácil e todo mundo quer fazer. Difícil é interromper o glamour, a carreira, carregar, internar, dar apoio, perseverar. Todo mundo quer ser amigo da cantora..aposto que poucos iam querer ser amigo da alcoolatra, viciada em drogas sem sucesso.

Espero que seu vazio seja brevemente preenchido com algo novo, algo que te dê um up.
No mais, boa soret para lidar com tanta gente tacanha e de mente pequena.
Afff

beijos!

Renata disse...

Eu sempre preciso escrever, independente de ser bom ou não. Mesmo não andando bem.

E tb queria muito que a vida fosse essa matemática... Nunca é. E sempre parece injusta.

Paula Li disse...

Oi Dama, ao contrário da maioria das pessoas, não sei o que é lamentar a perda de um ídolo.
Mas sempre me intrigou o lado negro do show business e a voracidade com que consome seus produtos.
É como você bem disse: não existe matemática exata. O estrelato pode ser algo duradouro ou efêmero e o talento do artista nem sempre é levado em conta.
E muito menos suas necessidades pessoais ou físicas.
Estive relendo seus últimos posts e espero sinceramente que você possa reencontrar o prazer de viver.
E que o vazio possa ser preenchido de alguma forma.
P.S: só tendo mesmo um companheiro tão maravilhoso como eu tenho, para aturar certas coisas.
Bjs

Atitude do pensar disse...

Engraçado, por aqui se instalou uma tristeza. Não que eu acredite que tenha vínculo com a morte da Amy, mas fiquei curiosa pra saber o porque.
Lendo um amigo, concordei com ele em relação a uma colocação: o que mais dói é a indiferença pela morte. Não que eu estou chorando, nem espere que alguém chore, mas é uma perda: pra música e pra vida daqueles que ela fazia parte.

Simone Audrei disse...

Muitas pessoas passam a vida sonhando com fama e sucesso, mas quando alcançam não sabem lidar com a coisa, tornam-se um problema, um fardo pesado demais. São pessoas sem uma estrutura emocional equilibrada que precisam de ajuda e compreensão, como a Amy precisou e talvez não teve, por isso acabou acontecendo o que aconteceu e o mundo perdeu uma grande artista, um grande talento.
Bj

Aninha Zocchio disse...

Dama... uma pena que as pessoas conseguem ressaltar os pontos negativos das pessoas!
Você fez bem em colocar uns momentos bacanas da Amy W.
Quanto as suas tristezas, às vezes pode até bater forte, mas lembre-se... pelo que você já postou aqui, superou!! É uma guerreira! Pense nisso, não deixe que a maldadade das pessoas lhe atinja. (fácil falar), mas só lembre-se, você superou, você venceu!!!
FeniCris... das Cinzas!!
beijokas!!

Tatiana disse...

É isso aì minha querida, escreva onde,quando e o que der vontade,os que te admiram e te adoram aqui estarão!!
É engraçado isso que você falou sobre a Amy, mas quando nos identificamos com alguém ou algo e ouvimos criticas sobre, a sensação acaba sendo um pouco pessoal.
Os pensamentos em relação as respostas são tantos que acabamos ficando com preguiça de responder,pelo próprio fato do individuo estar em outro planeta e nao conseguir entender o que tentamos passar.
Por isso, como você mesma disse, nem vale a pena desperdiçar saliva com certas pessoas.
Força minha querida, que essa fase vai passar!!!
Beijocas!!!

Laly disse...

Eu nunca fui muito fã de alguém, nem mesmo uma banda que eu amasse muito, sempre gostei de músicas... então não sei se entendo a dor que um fã sente ao ver seu "idólo" falecer... Mas eu sempre torci muito pela Amy, as músicas dela são legais, e a história dela, o jeito dela de timida... torcia para que ela saísse das drogas, e sempre acreditei que ela ou ia se tornar um desses astros do rock que são viciados até hj mas continuam a vida e talz, ou ia parar de vez... mas não falecer tão cedo. É sempre uma grande perda,,,

Marcia disse...

Oi Dama,
escrever é bom, alivia a pressão. Eu sempre fui fã do talento da Amy, achava ela bonita e meeeega talentosa, fui no fracassado show aqui em SP. Eu polêmica, postei no meu facebook algo + ou - assim: que sabia que seria julgada, mas que sou contrária ao endeusamento da Amy post mortem. Ela teve todas as chances e fez as escolhas mais erradas. Assim, penso eu que não culparia ninguém, é mais fácil culpar os outros pelos nossos fracassos. Usando seu mote, vejo a diferença entre vc e ela... vc continua aí, se sustentando em todos os sentidos, e fazendo a escolha de estar clean a despeito de todas as dores que só vc conhece, e vc ao que consta não é rica, não é famosa, nem uma big star mundial, é uma pessoa comum, a vizinha de porta, a colega da sala ao lado. Escolhas, as suas por mais doloridas que sejam, já estão sendo pelo meu olhar (talvez simplista, e talvez até preconceituoso sim), mais acertadas, não me consta que apesar da fase dura você esteja entregando os pontos e sim, buscando um caminho alternativo e diferente para encontrar o seu ponto de equilíbrio, e sei que como vc existem muitas outras pessoas. Amy era talentosa, mas fraca, e essa era ela, e não deve ser endeusada por ser fraca, apenas por ter sido imensamente talentosa. Desculpe, me empolguei e escrevi demais. Se cuida aê! bjos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

é... e o tal do Pânico na tv já foi lá zuar no enterro, fazer "graça". que graça tem, eu queria saber.

muitos a usaram o qto puderam, até a hora que não deu mais. e infelizmente as coisas acabam assim, com um final irreversível, que nos deixa tristes.

tb estou mto chateado com tudo isso. e sim, infelizmente já virou traço cultural brasileiro achar que tdo é motivo pra piadinha de quinta categoria.

bjs

Cinderela Descaída disse...

Dama,

a Amy vinha morrendo aos poucos. Não acompanhei a carreira dela e não leio essas revistas sensacionalistas que adoram a desgraça alheia, então não sei se ela recebeu ajuda, se tentaram ajudá-la.
Sabe, tem pessoas que não sabem ou não querem pedir ajuda. São auto-destrutivas. É triste, mas acontece aos montes.
Acho tristíssimo que uma mulher jovem com tanto talento tenha ido tão cedo.
Beijo

Emíliana disse...

Garotinha...
Olha só,eu entendo a tua posição e como vc esta se sentindo.Mas há um porém muito grande entre vc e a Amy,vc venceu.Venceu o que?Teu maior inimigo,vc mesma.A Amy e muitos outros não.
Essa menina sofria de depressão desde que nasceu,talvez vc,e eu sofro tbm.Na juventude usei um tempinho a maconha,e depois o álcool,e me liguei,caiu a ficha que se eu continuasse eu iria me auto destruir completamente!Então aos 16 anos decidi,nada de drogas,nada de álcool.As escolhas de como queremos viver nossa vida são somente nossas.Fiquei com o cigarro,fumei pra caramba,mas graças a Deus e ao meu grande esforço parei há quase 7 anos.Em contra partida,com a guerra hormonal que venho travando com a menopausa,e mais essa depre que não me larga,sou obrigada a tomar umas bolinhas de tarja preta por alguns períodos....rsrs.Nem por isso acho que a vida seja ruim,pelo contrario.
Então,como vê,somos todos muitos frágeis...canaliza tua fragilidade,tua fraqueza e usa aqui no blog a tua "vitoria" pra chamar a atenção e ajudar aqueles que vivem do vicio.Faz disso tua força,teu poder,e não se deixa abater,ou se deprimir.No caso dessa moça,ela criou uma obra maravilhosa que fãs como vc não vão deixar morrer,mas ela,encontrou a paz.
Morrer é encontrar a paz.Viver é lutar até morrer,com dignidade.E isso vc faz tds os dias quando levanta da cama.
Me estendi....rsrs
Torcendo sempre por tds nos
Bjka

Diana disse...

A morte da Amy foi um baita desperdício, talento dela era indescrítivel. Eu era fã, mesmo com os boatos, as noticias na internet.. Quando a gente curte muito o trabalho de alguém a gente não liga muito pra vida pessoal dessa pessoa, acho que Amy também não se importava com sua própria vida.
Fiquei realmente muito sentida com a morte dela, esperava pro isso, mas não que fosse tão cedo..


Pra sempre vou ouvir love is losing game.

Nana disse...

Vi um comentario no facebook q resume esse sentimento... Parece q a Ivete Sangalo ( e outros "artistas") fizeram preces e shows em homenagem a Amy. Mas, enqto ela estava viva e precisando de ajuda, ninguem fazia nada ne?! #hipocrisia.
To sentindo falta da sua visita no meu cantinho...passa la qdo puder! Bjs e fik c Deus.

Suzi disse...

Olha, encontramos pessoas tão imaturas ao falar de certos assuntos. Principalmente sobre a morte dessa cantora...

Entrei no meu face e vi várias mensagens de saudade e, outros, praticamente denegriram a imagem dela...

Palavras chulas, imorais, decadentes e que não precisavam serem ditas...

Tudo bem que ela não estava em uma fase esplendorosa, porém percebe-se que ela tinha problema familiares, emocionais, enfim, vários problemas...

E, a única saída que ela teve para talvez esquecer os seus problemas, foram as drogas!!!

Lamentável essa perda!!!

Beijo, cuide-se!

C. disse...

É verdade, você foi forte, Dama.
Eu já experimentei mas nao era meu barato e acho sempre tive uma ligacao muito grande com o Cara lá de cima, talvez por isso eu nao tenha entrado de cabeça.
Hoje em dia cuido muito com o álcool (essa é uma droga daqueeelas e vendida abertamente), porque a família inteira da minha mae era alcóolatra e maioria dos meus tios morreram por causa do álcool. Fora que meu único irmão homem (tenho mais 3 irmas mulheres) é alcóolatra há anos, e quando nao era, precisa ver que graca de pessoa. Vivíamos em hospital internando ele...

Por outro lado, acho nao é só a droga que destroi nao, tem muitas outras coisas, auto destruicao por si só, já é o que basta.