quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Estudantes profissionais...


Sabe o que é um estudante profissional? É aquela criatura que se especializa não para ganhar dinheiro, mas se especializa em se especializar... Quem foca o emprego, estuda pra conseguir um e quem foca a especialização, meio que não chega a lugar nenhum. Até rimou... rs

Lá no meu setor passou um estagiário que tinha uma penca de graduação. Só cursos universitários era formado em dois... E com a gente estava estagiando na área de Direito, que é sua terceira faculdade. Diz ter um tal certificado internacional de espanhol, francês e inglês... Bem... O garoto vive lendo e fazendo cursos... Está com 30 anos e nunca teve um emprego de verdade, assim carteira assinada, responsabilidade com algo... Ele foi o estagiário mais mediocre que já vi. Em dois anos com a gente, não sabia juntar papéis nas pastas certas... Mas se especializar é a sua vocação... Tanto que saiu do estágio pra fazer uma pós-graduação em alguma coisa...

Gente! Não quero fazer aqui apologia à ignorância! Mas tem gente que escolhe o trabalho não remunerado do eterno estudo! Mil vezes estudar o essencial, mas encontrar uma maneira de ganhar dinheiro. Parece que essas pessoas vivem no mundo do "faz de conta". E pior. Vejo alguns assim que não tem retaguarda, ou seja, não tem família rica. Ficam mesmo é numa embromação!

Na real! Acho que essas pessoas tem tanto medo ou incapacidade pra enfrentarem a vida num trabalho de verdade, que passam a vida fingindo pra si mesmos que estão se preparando e ficam nessa até que a vida lhes dê um tapa na cara e precisem realmente pegar no pesado!

32 comentários:

Cantinho da Cê disse...

Boa noite Dama,

Realmente, parece que a especialidade desses caras é se especializar...
Não sou contrária ao estudo, nem mesmo a uma especialização numa área qualquer, mas tem tempo prá isso. O cara tá com 30 anos e ainda não parou de estudar???

Obrigada pelas visitas no meu Cantinho, você é sempre bem vinda...

Beijos,

Chica disse...

Tens toda razão,, vemos tantos assim...beijos,tudo de bom,chica

Marcos disse...

Esse cara está preso na máxima "quanto mais sei menos sei que sei..." Ele nunca vai chegar a lugar algum.

Agora, acho ridiculo os estudos para passar em concurso... acaba entrando um monte de especialistas em uso da crase ou matriz.

bjs

Murillo disse...

O cara deve estudar varias coisas e não absorver quase nada. Antes ele tivesse focado em uma coisa só.

Eu sou o GOOGLE disse...

UIIIIIIII, Dama, pegou pesado com a colega blogueira...como sei que é uma dama, sei que vai entender meu ponto de vista. Me formei, graduaçao normal, meu sonho sempre foi ser profe...mas em nosso pais professores de ensino básico e médio ganham muito mal. dei aula muitos anos. Para poder continuar dando aula e ganhar com dignidade, so me restou fazer mestrado e doutorado, porque so assim poderei dar aulas em universidades, porque é meu sonho, junto com fazer pesquisa. nao me resta outra opçao a nao ser estudar muito e me especializar cada vez mais. Meu foco é o mesmo, Geociencias, gostaria de ter feito so a graduaçao e ensinar crianças...mas dai morreria de fome...entao defendo o direito da pessoa poder fazer o que gosta, e se para isso precisar passar anos estudando, assim será...tipo, se nao existissem médicos que pasassem anos fazendo pesquisa para encontrar a cura de certas doenças a gente sofreria muito com elas ainda, ate hj. Na minha área, que é gerenciamento costeiro, se nao houvesse pesquisa, muita gente, principalmente a maior parte da populaçao mundial, logo estara morando embaixo d`'agua.

Enato defendo sim a especializaçao, obviamente se vc tem um obejtivo, se é so pra ficar estudando a vida inteira, sem saber o que quer...dai é outros 500

bjs...

VaneZa disse...

Rá... primeira vez que discordo de você... eu acho que mesmo quando esse tipo de pessoa leva na cara... ainda assim não pega no pesado. (só nesse ponto que eu discordei, viu?) rs

Agora eu concordo com o Google... (estranho uma pessoa dizer que é google... mas ele/a é sempre bem opiniosa/o e tem ótimos comentários... ainda não fui visitá-la/o porque não tô conseguindo nem dá conta dos blogs que eu gosto/sigo...) em fim... no caso do mestrado e doutorado é outra coisa... eu considero como trabalho... porque na maioria das vezes você recebe uma bolsa para cursá-los (no caso do mestrato em universidades públicas) e normalmente a pessoa que vai para o mestrado e doutorado está visando melhorias salariais de um emprego que normalmente já tem. Por exemplo... eu como sou fundionária pública... ao acumular esses títulos eu melhoro o meu salário (consideravelmente)... e em alguns casos sou até melhor "aproveitada" no meu emprego... ou seja...vou até trabalhar mais.

Mas eu entendi a que tipo de "estudantes" você se referiu... esses como eu disse... nem a vida dando porrada na cara vão ter jeito.

BeijoZzz... minha linda... saudade... tem um monte de coisa nova aqui pra eu me atualizar... por isso que eu prefiro esse ao Confissões (sim, eu confesso)... porque aqui a gente te "vê" com mais frequência... tem sempre muitas novidades.

Rê Ura disse...

Olha Dama, eu realmente não entendo qual seria o intuito de uma pessoa se graduar tanto e não se estabelecer profissionalmente... Normalmente as pessoas estudam, obtêm diplomas para conseguir um bom emprego, um bom salário (á não ser ricos – e até mesmo ricos querem ficar mais ricos daí estudam!), mas um cara de 30 anos que só foi estagiário e não usa seus conhecimentos para crescer numa empresa ou em seu próprio negócio, acaba sendo um lixo graduado, que não serve pra nada! – Nossa acho que peguei pesado!

Beijos

Paula Marina disse...

Morro de medo de virar uma dessas!

xerus

Revista do Ed disse...

Olá Dama, tudo bem? Estou por aqui mais uma vez! Era para vir ontem mesmo mas não deu em função de tempo. Mas, vamos lá!

Enquanto estou a escrever estas linhas em teu espaço estou ouvindo uma música do Legião Urbana que tem por título Geração Coca-Cola. Tem uma parte em que o Renato Russo diz: Depois de vinte anos na escola... Ou seja, nós passamos, no geral, se não atrazarmos, longos vinte anos entre primeiros estudos primários à faculdade e formação total. É mesmo preciso que nos empenhemos neste período em sermos "profissionais" em o que estamos a estudar. Concordo que temos que nos especializar, faz uma pós (eu nunca fiz nada disso e nem títulos tenho como já te contei em outra postagem tua) mas daí eu ter que estudar para me especializar numa área e depois me especializar na especialização, para me graduar pós graduação, para então, passar por mauis uma bateria de novas matérias, para estar bem em determinada áera... e por aí vai... Calma, deixa eu parar por auqi uma vez que minha cabeça já deu um nó e acho que nem mesmo estas a entender mais nada. rsrsrs.

Mas, quanto ao rapaz, isso pode acontecer tanto com ele quanto com outras pessoas. Sou a favor sim de que, se voce não está bem numa coisa, ou objetive um cargo mais elevado, meta mesmo a cara nos estudos. Mas, por favor, ná dá para viver apenas fazendo isso. O mais interessante mesmo, no meu ponto de vista para uma empresa é a experiencia profissional e a capacidade do camarada naquilo que esta prestes a fazer ou já faz a algum tempo.

"Depois de vinte anos na escola..."

Um forte abraço e o desejo de muita paz, sempre!

Atitude: substantivo feminino. disse...

Oi Damita!
Seu post é super atual, pelo menos na minha família. Estamos com uma situação bem similar a que vc descreveu e eu entendi perfeitamente que vc não fez apologia a burrice, fica tranquila.

Veja bem..quem escolhe a área acadêmica está muito fadado a isso se não tiver jogo de cintura ou vontade mesmo..vontade de mudar.
O especializado do especializado não chegará nunca a lugar nenhum que não seja mais estudo...e cairá no erro que vc descreveu acima..achando que a área acadêmica é a solução para o seu desemprego.

O mestrado, o doutorado devem ser encarados como trabalho: metas, prazos e chefe...senão o "estudante" vicia em um sistema acadêmico..e comete o erro de pensar: é melhor que ficar desempregado.

Buscar outras coisas, ter um plano B é fun-da-men-tal. Pois acaba o mestrado, acaba o doutorado e vc faz o que? Trabalha aonde?

E no Brasil pesquisa e merda são a mesma coisa.
O governo não valoriza a pesquisa, todos sabemos disso.
Aí é o cara que tem de optar..eu quero ganhar dinheiro? Quero entrar para uma empresa? Quero melhorar profissionalemente? Então..se vira nos 30, maluco.porque só os livros não vão te ajudar..a prática é essencial porque todo mundo tá careca de saber que teoria de mais no cu é rola.

No meu ver rola muita acomodação sim, e muitos ficam esperando a portunidade perfeita que seja compatível com o tanto que estudaram...sendo que muitas vezes é melhor entrar em um cargo inferior numa boa empresa e ir subindo (eu fiz isso e no início geral me achou louca).
Vai querer ficar esperando reconhecimento pelos méritos acadêmicos sem nunca ter carregado piano e ter sido babá de chefe..se muda para a Alemanha, pra Suiça..aqui não é o lugar. Ponto.

Beijos lindona e ótimo final de semana!!!

Atitude: substantivo feminino. disse...

Escrevi uma porra de um comentário enorme que deu erro, acredita?
Vamos lá...vou repetir rsrsr

Estamos com um caso similar na família..muito atual seu post.

O erro mais comum é as pessoas tenderem a se viciar em um sistema acadêmico muitas vezes com medo de encarar a realidade do mercado.

Existem duas macro áreas: a profissional e a acadêmica.
Os acadêmicos pensam, criam, desenvolvem para que os profissionais do mercado transformem, utilizem e ganhem dinheiro.
Que prática de mercado, prática profissional tem uma pessoa que saiu da graduação, foi fazer um mestrado e nunca trabalhou?
Eu te digo: só a acadêmica, nenhuma mais.

Esse profissional dificilmente se encaixa nos perfis que as empresas buscam..Sorry, mas vivemos no Brasil e a realidade é essa.

Aí, esse cara que só contava com a bolsa do mestrado e com medo do desemprego se vê muitas vezes fadado a tentar o doutorado..(veja bem que funil bizarro)..aí eu te pergunto...e depois??
Vai fazer o que? Vai ganhar dinheiro como??

Infelizmente esse privilégio é para uma minoria..pois conheço inúmeros talentos desperdiçados..que ficaram batendo cabeça na área acadêmica e depois sairam fora pois a realidade era outra.

Um cara com família estruturada, condições financeiras, poderá tranquilamente tentar oportunidades fora do país, escrever livro etc..e um cara arroz com feijão, família ignorante..vai fazer o que???
Ficar esperando um concurso perfeito aparecer? E se não aparecer?

Aí eu canto aquela musiquinha pra vc, tá:
"Até quando esperar a plebe ajoelhar
Esperando a ajuda de Deus " hahaha

Mais ou menos isso..
Beijos lindona e ótimo finde!!!

Ká Blasques disse...

Eu sou a favor dos estudos, mas com equilibrio. Não dá pra estudar a vida toda... e nunca arrumar um bom emprego, né O mercado exige mais do que os estudos, exige experiência prática tb.

Bjos

RAFAEL disse...

ainda bem que arquiteto não precisa ficar fazendo mestrados e doutorados na vida pra ser bom...a criatividade existe ou não na pessoa independente do tanto de cursos que ela faz...no meu caso basta estar antenado e saber dos novos programas graficos...apenas. Mais que isso é perder o foco.

Tenho uma amiga de infancia que após terminar o doutorado dela agora, aos 40 anos, percebeu que deixou a vida pra tras...

Não sei até onde valeu a pena...espero que alguma coisa tenha trazido de merito...mas enfim minha cara dama...oq vc disse no post está tudo 100% dentro do que penso...mais uma vez batendo comigo nas idéias.

Beijão...

Ps.: um dia vc virá a Campinas?

Desdhemona disse...

Tá ai, adorei o tema que você escolheu para postar.
Minha família quer porque quer que eu faça faculdade quando terminar o EM esse ano, porém, eu sempre digo que faculdade não me ajudaria em nada na profissão que quero seguir. Seria uma grande perda de tempo, dinheiro e anos em estudos que eu não iria usar.

Tenho um meio tio que é formado em Marketing pela USP, passou a vida estudando. Deve ter uns 500 certificados em cursos diferentes, e sabe com o quê ele trabalha? Passou no concurso do IBGE, e nem emprego fixo tem.

Eu acho que a culpa é, principalmente, da família que incentiva os estudos 'desenfreados' como a única forma de se dar bem na vida, e a pessoa não desenvolve um preparo prático, e não se dá bem em emprego nenhum.

Beijos!

::::FER:::: disse...

sou cabeleireiro beh, acho que vc ja sabe... mas nunca deixei de me especializar em outros assuntos ... eu vivo estudando ecurto me especializar ... no momento faço parte dum grupo de estudo sem fins, não é curinho nem faculdade, apenas decidimos estudar psicologia de uma maneira diferente... e olha to amando.


:::FER:::

'Lara Mello disse...

Nossa.. Gostei muito daqui, assim como vc me expresso sem medo, com verdade e muita muita autenticidade!

Sigo-te!

Flor de Lótus disse...

Olá, minha cara Dama!Pois é tem gente que tem medo de por a cara pra bater de ter responsabilidades de verdade.Eu por enquanto sou estagiária,mas estou em busca de um emprego de verdade.E olha tenho certeza que aprendi muito nos 5 anos de graduação, fiz vários estágios.Mas sinceramente prefiro não trabalhar contigo para não ter que passar pela tua rigorosa avaliação,kkkk.
E aliás em todas as empresas q trabalhei até hoje os estagiários ganhavam menos e trabalhavam tanto ou mais que os funcionários.Mas gente medíocre há em todos os níveis de um organograma...
Um ótimo findi!
Beijosss

Camila Mancio. disse...

você realmente escreve sobre a realidade.
lindo, amei.

Tatiana disse...

De repente uma maneira de fugir da realidade ou mesmo da própria rotina.
Sou super a favor dos estudos, incumbo muito isso aos meus filhos, mas a experiência laboral é fundamental, complementada com a busca de informações (para nao ficar estancado no tempo!!).
Beijocas!!

Bárbara disse...

Eu estou sendo torturada no meu tão sofrível Ensino Médio para passar em um vestibular digno e conseguir dinheiro com minha profissão. Como existem doidos que apenas ficam fazendo cursos atrás de cursos? haha.

Acho que ele não se lembra do massacrante Ensino Médio, rs.

A Revoluçao Feita por Nós disse...

Dama...estou em 95% de acordo contigo, 3% na dúvida, 1% de um sentimento de desacordo e 1% desacordo duvidoso em relação ao 1% anterior!rs. È importante o estudo, sem a minima duvida! Mas a escola, faculdade, especializações devem ser feitas com o intuito de algo que nos traga um beneficio em prol do tempo que levamos e nos debatemos a estudar. Estudar para dizer: Eu sei muito...não leva a nada! Mas estudar para nos proporcionar dinheiro, estabilidade em algo que nos possamos sentir uteis...já é diferente!

Marliborges disse...

Sabes, falando em estudadnte profissional, lembrei-me dos tempos da ditadura em que havia esse tipo de estudante. Só que funcionava assim: o carinha entrava na faculdade só pra espionar, ano seguinte noutra e assim por diante e dedurava todo mundo que era contra o regime. É ruim hein! Agora voltando, ao post, tem gente que adora holofotes, adora colecionar títulos, mas fica só nisso. Coleção e mais coleção. Claro, no caso dos professores, a carreira acadêmica é assim mesmo, mas todos os pós e cia, são relacionados. Aí a conversa é outra, não é? Mas concordo contigo, é mais fácil ser estudante que batalhar pra ganhar dineiro. Bjsssssss

Andrea Pagano disse...

Oi Dama,
Demorei, mas aqui estou.
Eu sempre acreditei que é pelo estudo que a gente consegue ter um emprego melhor e consequentemente ganhar um bom salário. O problema é sempre o exagero. Tem um monte de gente que estuda a vida toda e não faz mais nada, se isola, ou na empresa fica agregando cursos e continua sendo inacessível e não agregando em nada, portanto nada serviu aquele "PLUS".
O ser humano fica sempre insatisfeito e quer mais, mais diplomas, mais especialização, mais dinheiro, mais glamour, mas não sabe às vezes ter um papo descontraido ou sair do pedestal e se relacionar com gente normal...
Pergunto: Adianta? Valeu a pena?
Tudo tem limite e que isso não suba na cabeça da pessoa.
Quanto a não saber trabalhar, acho que tem gente que estuda e na verdade só tem capacidade para estudar mesmo! Não sabe colocar em prática e é travado, então o cara fica achando que é falta de algo que ele ainda não se "especializou", porque não percebe que na verdade é falta mesmo de capacidade para colocar a mão na massa...Fazer o quê?
Bjs minha amiga polêmica!
Bom feriado...

Celamar Maione disse...

Dama ,
Não tenho uma opinião formada sobre o assunto.
Eu acho que quem quer trabalhar, trabalha.
Quem quer estudar, estuda.
Estudo nunca é demais.
Medo de enfrentar a vida ? Relativo.
O que é enfrentar a vida ? Sair todo dia no trem das 4 com marmita na mochila ?
Vida não é receita de bolo.
Cada um faz o que pode ou acha certo. O que pode ser certo para um, pode não ser para o outro.
Cada um vive como deseja viver.
Respeitando limites que é o mais importante.
E assim caminha a humanidade....
Beijocas e bom feriado !

lpzinho disse...

É... é o tipo de coisa que me incomoda. Nada contra, pelo contrário... as pessoas tem sim que estudar, buscar conhecimento de modo formal e informal. Mas como em tudo na vida, sem exageros né! E parece que tem muita gente que extrapola. Enquanto de um lado temos os boleiros que na sua maioria se orgulham de sua imbecilidade e estado de falência moral, ignorância e burrice que não os impede de enriquecer, temos de outro lado a turma dos tarados por diplomas. E tem aquele amigo que tem mais tesão por aprender mais e mais inglês do que pela mulher amada. Tem a outra que se entrega aos livros e vive falando apenas sobre o que aprende e interessa e por ai vai. Desfiles de certificados, diplomas, prêmios e demais coisinhas são corriqueiros e HAJA paciência com isso. Dei aula por mtos anos e via aquele mundo de estudantes bacanas no primeiro e segundo ano se tornarem os mais chatos e sem graça no terceirão, posto que viviam para estudar pro vestibular. O grande barato é que a maioria deles acabava não entrando naquele ano. Já os alunos de publicidade e técnico em geral acabavam entrando mesmo sem grandes focos no vestibular ou períodos de imersão em cursinhos.
Tem uma frase famosa que diz... "Imaginação é mais importante do que o conhecimento". Pois é... acho conhecimento precioso. Fundamental! Mas precisa ter jogo de cintura, improvisar, respirar e acima de tudo: NÃO SER CHATO hahaha Beijo Dama maior, alta e poderosa!

Cadinho RoCo disse...

Estou com a sua tese porque pessoas que vivem se preparando terminam por não ficarem peparadas pra nada.
Na prática é que a vida esbarra no que distingue o sonho da realidade.
Cadinho RoCo

Niseloka disse...

Eu estou numa fase meio assim, de só me "especializar". há mas de um ano que não trabalho de carteira assinada. Infelizmente conciliar estudos e trabalho é difícil, e a sociedade é construída para que ou você trabalha ou estuda.

Juci Barros disse...

Boa! Mas penso que isso é em grande parte também pela falta de oportunidades, ou pelo menos das muito boas. Existem pessoas que não se contentam com cargos "pequenos" e então tentam se especializar em algo para ter melhores chances, mas existe também a questão da coragem de começar de baixo, ou de ter um apadrinhamento por assim dizer.
Beijos.

ONG ALERTA disse...

Estar sempre informado é fundamental, mas não pode ficar só na teoria na prática muita coisa é diferente, beijo Lisette

Cadinho RoCo disse...

Já de volta.
Cadinho RoCo

Camila Mancio. disse...

gostei do blog, realmente acho os assuntos tratados interessantes.
grande beijo.

Bill Falcão disse...

Sou o contrário desse tipo. Larguei os estudos formais ainda no antigo ginásio. Depois, só um pequeno curso de cinema, enquanto entrava no jornalismo numa época em que o diploma não era nem comentado. Como sempre gostei de ler, passei a escrever bem. Mas voltar a estudar não faz minha cabeça. A não ser se for pra fazer concurso, né? Quem sabe?
Bjoo!!