quarta-feira, 23 de março de 2011

Almas atormentadas...



Respeito bastante todos os distúrbios psiquiátricos, que na verdade são bastante discriminados.

Mas fico pensando em quantas pessoas que fizeram a diferença e que eram portadores desses distúrbios.

De alguma maneira pode ser que a enfermidade e qualidades raras se misturem e a linha que separe seja tênue

Tive um professor que dizia que a tristeza é que fazia os grandes escritores produzirem. Naquela época era adolescente e não sabia muito bem a extensão disso. Mas podem notar a quantidade de artistas que tem uma alma atormentada. Hoje essa afirmação do tal professor me faz sentido. Mesmo sabendo que não é uma regra absoluta, do tipo, todo artista é um atormentado!

15 comentários:

Mayra Di Manno disse...

Muito bem colocado, muitos e muitos artistas só conseguiam ou só conseguem compor, pintar, esculpir, na dor... Vinicius de Moraes escrevia na melancolia...
Um beijo,

Isadora disse...

Oi Dama que vídeo sensacional. Assim como você respeito demais os distúrbios psiquiátricos, até porque já foi acometida por um deles.
E sim, muitos artistas nascem desse caos.
Um beijo

Karina disse...

Manuel Bandeira que o diga...

Juliana Galante Magalhães disse...

Mas, quase todo atormentado é um artista...
Beijoca

Simone Audrei disse...

Oi Dama, adorei o video e seu post. Você tem razão, eu tenho um filho hiperativo, extremamente inteligente, e com dons voltados para as artes. Ele desenha desde muito cedo perfeitamente, seus desenhos são maravilhosos, apesar de tímido, ele dança de uma forma impressionante sem nunca ter aprendido, nota-se ser um artista de nascença. Damos o maior apoio pra ele desenvolver esse lado artístico. Está há dois anos, matriculdo numa escola de desenho, já fez um ano de street dance e agora pretende estudar piano. Este tipo de pessoa só necessita ser compreendido, amparado, apoiado e amado, são pessoas extremamente especiais. Muitos gênios, foram agora considerados hiperativos, até Einstein. Belo tema você escolheu.
Beijuuu
Dona Rata

Mateus Luciano disse...

sempre digo que meus mares são como Bering

desabafodascalcinhas.blogspot.com disse...

Dama,
sim não é uma regra absoluta. Mania de dizerem que todo artista é um atormentado.Bobagem. Ficção.
É no equilíbrio que se produz mais e melhor. O artista precisa estar com a mente funcionando bem para sair um trabalho de qualidade.
A poeta americana Silva Plafth que se suicidou, costumava dizer que quando estava louca não conseguia produzir nada.
Eu li uma entrevista com um médico psiquiatra na Revista Época ( acho )e durante a entrevista o médico falou que um artista até pode ser um atormentado, porém, se não o fosse , produziria mais e melhor. Ele citou como exemplo Van Gogh que durante anos ficou internado num sanatório.
O artista sofre ? Sim. Sofre por ser mais sensível do que os demais. É fato. Porém, sofrimento faz parte da vida de todo mundo. Desequilíbrio também.Uma hora estamos mais ou menos desequilibrados.
É estranho dizer que todo artista é um artomentado. Não ,não é. Há artistas q produzem obras maravilhosas e são centrados.


Amei o vídeo.

Beijão

Balzaquiana com 'Z' disse...

Será que eu sou uma artista? Afinal... eu sou uma atormentada total. rs

Mas que isso é verdade, é mesmo... acho que os "loucos" são "loucos" porque são geniais.

BeijoZzz

Fê Miceli disse...

Eu concordo com isso. Falo por mim mesma. Quando estou com a felicidade à flor da pele, não consigo achar as palavras para descrever uma série de acontecimentos e situações. Parece-me que nem os vivencio de fato. Tal a pressa para viver a minha felicidade "eterna" momentânea. Mas vai bater aquela trsiteza para ver se eu não escrevo dezenas de páginas sobre a reflexão desse sentimento e outros que decorrem dele. Não sei se sou mais uma atormentada, rs.

Isa Mar disse...

Oi Dama, com certeza nem todos os artistas tem a alma atormentada, mas o que tem são os que dão maior ibope.
Acho também que distúrbios psíquicos e qualidades raras são separadas por uma linha tênue, quando a pessoa não sabe lidar com seus sentimentos e desejos ela tende a se desiquilibrar emocionalmente, se sentindo diferente e rejeitada.
Por isso a importância de se saber trabalhar áquilo que nos torna diferentes dos outros,pois quando nossa auto estima está bem não tem ninguém que vá nos colocar pra baixo e nos fazer sentir rejeitados.
Esse seu professor até que estava falando a verdade, pois a maioria do povo gosta mesmo é de se comprazer na lamentação, nas tragédias, mas ainda bem que hoje a coisa está mudando, mesmo que lentamente
Hoje conheço grandes escritores que estão fazendo revolução, ensinando as pessoas uma qualidade de vida melhor e cada vez mais as pessoas estão buscando por isso.
Beijos no coração!

Apaixonados disse...

Também já ouvi essa afirmação de um professor de literatura há pelos menos 5 anos... e sempre concordei com ele.

Há duas formas de produzir arte: estando triste ou amando!

Não sei quem disse, mas creio que foi Einstein. Disse que vc deve escolher entre ter amigos ou produzir ciência. Acho engraçado o fato de que tanto a arte quanto a ciência tenham esse aspecto em comum... produzir gênios doidos! xD kkkkk

Pensem comigo: o que seria Oscar Wilde sem o preconceito pela sua sexualidade ou Renato Russo sem sua depressão... se´ra que teriam produzindo tanto quanto produziram? Renato Russo escrveu mais músicas de profundidade quando descobriu estar com Aids.

Enfim,

Abração

Tom

disse...

É verdade! Está certíssima!
Bjos

Cristine disse...

Sou suspeita para falar, eu tive a primeira crise de pânico quando eu tinha 7 anos, em meados dos anos 70. Naquela época sequer havia diagnóstico da doença, achavam que era frescura, que eu queria chamar a atenção. Só há 8 anos eu encontrei uma psiquiatra maravilhosa que soube tratar o transtorno e pude recuperar a qualidade de vida. SOfri pra burro, achei que eu era louca, mas de alguma forma o Transtorno do Pânico me forjou, me preparou para muitas coisas, tornei-me uma pessoa mais forte. Algum bônus deve haver para nós, que sofremos de problemas como esse, discriminados, sim! Não sangra, não incha, mas dói da mesma forma.

Iza disse...

Acho que quanto maior é a sensibilidade maior é o tormento. Para escrever de forma lúcida preciso não estar sob pressão. Sob pressão, toda minha amargura desanda. Em dias de vento, só consigo ver espinhos e jogá-los todos no blog.

Meu prof de antropologia, quando confessei meu transtorno de humor, me apresentou vários escritores famosos que possiam a alma atormentada. Acho ue ele só quis mostrar que eu era normal.

Beijos!

Cinderela Descaída disse...

Bom, não sei se todos os artistas são atormentados. Muitos foram (sabes bem minha opinião).
Agora, creio com todo o meu ser que os artistas devem ser profundamente sensíveis ao que ocorre no seu entorno. Se não, esquece!
bjs